Música

Rock das antigas invade os palcos da cidade

Nomes como Joe Cocker, Roger Waters e Bob Dylan são algumas das atrações já confirmadas até o fim do ano

Por: Catarina Cicarelli - Atualizado em

Roger Waters
"The Wall": Roger Waters fará shows de CD lançado em 1979 pelo Pink Floyd (Foto: Divulgação)

Fãs de rock clássico não têm razão para se decepcionar com a agenda de shows para os próximos meses. Entre as atrações que se apresentam na cidade, ao menos dez nomes que fazem sucesso há décadas marcam presença. O primeiro deles é Joe Cocker, que toca no Via Funchal nesta quinta (29), após passar quase 35 anos afastado dos palcos paulistanos.

+ Roger Waters faz apresentação baseada no álbum "The Wall"

+ Os shows que agitam a cidade

+ Maratona de tiozão: shows para quem gosta de hits do século passado

O músico apresenta em sua nova turnê faixas do álbum “Hard Knocks”, lançado em 2010, mas não faltarão hits antigos para animar o público, como “You Can Leave Your Hat On” e as famosas versões de “With a Little Help From My Friends”, dos Beatles, e de “Unchain My Heart”, de Ray Charles.

Poucos dias depois, é a vez de Roger Waters se apresentar em duas noites, nos dias 1º e 3 de abril, no Estádio do Morumbi. Da última vez que esteve no Brasil, há cinco anos, o ex-líder e baixista do Pink Floyd mostrou as canções do álbum “The Dark Side of the Moon” (1973). Agora é a vez de “The Wall” (1979), com direito a um paredão de 137 metros de comprimento por 11 de altura ao fundo. Os shows relembrarão músicas como “In The Flesh”, que abre o disco, “Another Brick in the Wall” e “Mother”.

No dia 14 de abril, é a vez do inglês Ian McCulloch, vocalista do Echo & the Bunnymen, fazer show solo no Sesc Pinheiros. Acompanhado por um quarteto de cordas, o músico vai mostrar o álbum “Pro Patria Mori”, bancado pelos fãs por meio de crowdfunding, uma espécie de vaquinha virtual. Além do trabalho solo, não faltarão sucessos da banda formada no final dos anos 70, como “The Killing Moon” e “Lips Like Sugar”.

Outro vocalista que vem sozinho à cidade é Roger Hodgson, do Supertramp. Conhecido por sua voz aguda, o multi-instrumentista visita o Brasil pela terceira vez. Marcada para o dia 26 de abril no Via Funchal, a apresentação, apesar de ser solo, contará com os hits que marcaram a banda a que o músico pertenceu até 1982, a exemplo de "Breakfast in America" e "Take The Long Way Home".

Bob Dylan
Bob Dylan se apresenta no Credicard Hall nos dias 21 e 22 de abril (Foto: Reprodução)

Também em abril, nos dias 21 e 22, o ícone do folk Bob Dylan toca no Credicard Hall. Sua última vinda foi em 2008, quando apresentou a turnê “Never Ending”. Aos 70 anos, o músico já lançou mais de 40 álbuns. Nos shows em São Paulo, não faltarão clássicos de seus mais de 50 anos dedicados ao folk, entre eles “Blowin' in the Wind”, "Hurricane" e "Mr. Tambourine Man".

Em maio, o Via Funchal será palco de outros dois shows que prometem mobilizar os roqueiros das antigas. Na ativa desde o fim dos anos 60, o grupo Crosby, Stills and Nash — que antes também contava com Neil Young — tem apresentação marcada para o dia 10 de maio.

Já nos dias 11 e 12, quem sobe ao palco da casa é o guitarrista Buddy Guy, que toca há mais de 50 anos e já é figura conhecida dos paulistanos. Mais voltado para o blues, o músico é uma das influências de muitos roqueiros e flerta com o estilo. Apesar de vir com a turnê de “Living Proof”, seu 26º disco, lançado em 2010, não faltarão faixas que marcaram sua carreira, como “Mustang Sally”.

+ Bob Dylan se apresenta na cidade em abril

+ Joe Cocker fará show em março na cidade

Mais para o fim do ano, também tocam na cidade a banda alemã Scorpions, no dia 20 de setembro, no Credicard Hall. Com mais de 40 anos de carreira, a banda vem a São Paulo com sua turnê de despedida, “Final Sting”, recheada com hits como “Rock You Lika a Hurricane” e “Wind of Change”.

Último dos grupos de rock das antigas confirmado até agora, o Marillion é atração do dia 11 de outubro, no HSBC Brasil. No repertório, "Kayleigh", "Beautiful" e "Hooks in You" e outros hits progressivos da banda, que começou a carreira no fim dos anos 70.

Fonte: VEJA SÃO PAULO