Futebol

Roberto Carlos concilia treino, novos negócios e parto de oitavo filho

Recém-chegado à cidade, o lateral do Corinthians ainda acompanha a reforma de seu apartamento

Por: João Batista Jr. - Atualizado em

Roberto Carlos e filha_2156
Roberto Carlos, com a pequena Manuela: o craque deu o primeiro banho no bebê, no último dia 6, e correu para a concentração antes do jogo contra o São Caetano (Foto: Marcela Barros)

Não houve tempo para o imóvel de 500 metros quadrados e seis vagas na garagem, avaliado em 3 milhões de reais, ficar pronto. Localizada em Pinheiros e em reforma há cinco semanas, a cobertura dúplex foi comprada pelo lateral esquerdo Roberto Carlos por causa da chegada de Manuela, seu oitavo filho. “Estávamos instalados em um apartamento com a metade desse tamanho e queríamos mais espaço para curtir nossa filha”, conta a fisioterapeuta Mariana Lucon, segunda mulher do jogador. O bebê, no entanto, veio ao mundo duas semanas antes do previsto, no sábado (6), e mudou os planos. Mariana havia acertado com o obstetra Renato Kalil (irmão do cardiologista do presidente Lula, Roberto Kalil Filho) que faria o chamado parto humanizado, sem anestesia, que poderia durar até catorze horas. Nos últimos momentos, optou por uma cesariana, para que Roberto Carlos pudesse acompanhá-la. Ele ficou o tempo todo com lágrimas nos olhos e deu o primeiro banho em Manuela. Logo em seguida, correu para um hotel de Barueri, onde o Corinthians estava concentrado para a partida contra o São Caetano. Até o término das obras no novo apartamento, previsto para o fim deste mês, mãe e filha ficarão em Cordeirópolis, a 160 quilômetros da capital, onde mora a família do casal. E, para quem acha que oito filhos são suficientes, a prole tem tudo para aumentar. “Meu marido ainda quer mais”, diz Mariana.

Aos 36 anos de idade, o ex-auxiliar de limpeza vem repetindo que pretende encerrar a carreira no Timão. Seu salário — entre 200 000 e 300 000 reais — representa apenas parte de sua renda. Roberto Carlos acaba de reativar a empresa RC3 Produções, para empresariar artistas como a dupla sertaneja Rio Negro & Solimões e o grupo de axé Psirico. Também tem a grife RC3 e a RC3 Bassani, equipe de Stock Car — além de diversos apartamentos e flats alugados em Araras, em São Paulo e na Espanha. O número 3 faz alusão à camisa com que ele jogava na Europa. Costuma marcar reuniões de negócios na cantina Lellis Trattoria e na churrascaria Rodeio, nos Jardins. Quase sempre deixa de gorjeta uma nota de 50 reais e atende com simpatia os fãs que pedem foto ou autógrafo. Não dispensa a escolta de três seguranças. Anda sempre de óculos escuros e com um dos relógios de sua vistosa coleção de mais de 100 modelos — alguns custam até 100 000 reais. Ainda que diga em entrevistas que dirige um Fusca, Roberto Carlos circula por aqui a bordo de três carrões: Chrysler 300C Sedan, Mercedes-Benz Classe B 200 e BMW 750i.

Fonte: VEJA SÃO PAULO