Roteiro

Rio de Janeiro para os experts

Ouvir jazz na favela, conhecer mercados inusitados, atravessar a ponte para visitar Niterói são atividades surpreendentes até para os veteranos

Por: Rachel Verano - Atualizado em

Museu de Arte Contemporânea - Rio de Janeiro 2249
Museu de Arte Contemporânea: programa imperdível (Foto: Silvestre Machado/Opção Brasil Imagens)

Atravessar a ponte rumo a Niterói

Exatos 13,29 quilômetros separam o Rio de Janeiro da vizinha Niterói, do outro lado da Baía de Guanabara. A Ponte Presidente Costa e Silva, ou simplesmente Ponte Rio-Niterói, inaugurada em 1974, chega a ter 72 metros no seu ponto mais alto. Do outro lado, há pelo menos dois programas imperdíveis: o primeiro, mais óbvio, é o Museu de Arte Contemporânea, o MAC (Mirante da Boa Viagem, s/nº, tel.: 21 2620-2400. 10h/18h (sáb. e dom. até 19h; fecha seg.). R$ 5,00. www.macniteroi.com.br), um dos projetos mais emblemáticos de Oscar Niemeyer. No acervo do edifício, que foi apelidado de “disco voador”, há obras de Amílcar de Castro, Cildo Meireles, Hélio Oiticica, Lygia Clark e Tomie Ohtake, entre outros. Mas um de seus maiores trunfos é a vista estonteante do Rio de Janeiro. O outro programa é esticar-se nas areias da Praia de Itacoatiara, dentro de uma área de preservação ambiental, onde o mar é limpo, as ondas são boas e, para agradar a gregos e troianos, uma pedra forma uma gostosa e calminha piscina natural.

+ Rio de Janeiro: o outro lado da ponte aérea

+ O Rio de Janeiro para iniciantes

+ Rio de Janeiro além dos passeios básicos

Mergulhar mais fundo nos morros pacificados

O.k. Você já conhece a cidade toda, já se rendeu aos programas mais turísticos, já foi até os mirantes das favelas. Pois agora chegou a hora de se aprofundar no tema. Está na moda subir os morros pacificados e embrenhar-se nas favelas. Na Tavares Bastos fica o The Maze (Rua Tavares Bastos, 414, casa 66, Catete, tel.: 21 2558-5547. www.jazzrio.info), um bed & breakfast bem ao lado da sede do Bope comandado por um inglês apaixonado por música — e pelo Brasil. Toda primeira sexta-feira do mês ocorre por lá uma jam session da melhor qualidade (21h/4h. R$ 30,00) e, toda terceira sexta, a Festa Labirinto (21h/4h. R$ 20,00), com shows e discotecagem. Na divisa entre Babilônia e Chapéu Mangueira, a pedida é provar a ótima feijoada de frutos do mar e o feijão-tropeiro do Bar do David (Ladeira Ari Barroso, 66, tel.: 21 7808-2200. 8h/17h (sáb. e dom. até 22h), que os gringos já descobriram em peso.

Frequentar as feiras que são verdadeiras instituições cariocas

Nas barraquinhas, tapioca, carne de sol, cabrito, baião de dois. Nas caixas de som, xote, forró, maracatu. Entre os suvenires, redes e rendas. O Nordeste é aqui, e com direito a karaokê e show de música brega. A Feira de São Cristóvão (Campo de São Cristóvão, tel.: 21 2580-5335. 10h/18h (sex. a dom. até 20h; fecha seg.). R$ 2,00 (sáb. e dom.). www.feiradesaocristovao.org.br) reuniu, num espaço de 156.000 metros quadrados, cerca de 700 barracas e restaurantes que transformam o local numa festa. Outra feira imperdível é a do Rio Antigo (Rua do Lavradio, 28, Lapa, tel.: 21 2224-6693. 10h/18h. Grátis. www.novorioantigo.com.br), que acontece todo primeiro sábado do mês, com destaque para as peças de antiquários. Mas também tem barraquinhas de comida e rodas de samba, chorinho e MPB. 

Bar Urca - Rio de Janeiro 2249
Bar Urca: concorrido no fim da tarde (Foto: Selmy Yassuda)

Encerrar o dia na mureta do Bar Urca

O Bar Urca é uma instituição da cidade — ocupa o mesmo espaço desde 1972 e é administrado pela mesma família. Dono de uma vista que escancara a Baía de Guanabara, o Corcovado e a Ponte Rio-Niterói, fica especialmente concorrido no fim da tarde, quando os clientes atravessam a rua e se apoiam no muro em frente para apreciar o visual munidos de cerveja e da especialidade da casa: um caldinho de frutos do mar servido no copo americano (Rua Cândido Gaffrée, 205, Urca, tel.: 21 2295-8744. 11h/23h, dom. até 19h30). 

Cobal do Rio de Janeiro - 2249
Cobal: boa opção de restaurante (Foto: Selmy Yassuda)

Sentir-se um autêntico carioca na Cobal

Que tal tomar chope e comer pizza e outras comidinhas despretensiosamente em meio a um mercado com barracas de frutas, verduras e flores? Mais carioca, impossível. O programa vale tanto na Cobal do Leblon (Rua Gilberto Cardoso, s/nº) quanto na de Humaitá (Rua Voluntários da Pátria, 448). Em ambas, os restaurantes abrem para almoço e jantar, com horários variados.

Cair na balada nos bares da moda

O mais recente endereço da azaração carioca foi inaugurado nos últimos dias de novembro, com a presença de figuras como Carolina Dieckmann, Kayky Brito, Maria Gadú, Dado Dolabella, Nathalia Dill e Ellen Jabour. É que os próprios donos são também conhecidos: entre eles, Bruno de Luca e Cacá Bueno. O Barzin (Rua Vinícius de Moraes, 75, Ipanema, tel.: 21 2522-1809. 15h/último cliente, sáb. e dom. a partir das 12h) promete ser o hit do verão, com programação que começa no fim da tarde e se estende noite adentro. Outras novidades boas e badaladas vieram em 2011: o Q Gastrobar (Rua Dias Ferreira, 617, Leblon, tel.: 21 2113- 0564. 12h/1h, dom. e seg. até 0h. www.qgastrobar.com.br), dono de uma varanda concorrida e de um petisco que é o maior sucesso, o “mix de boteco” (releituras de comidinhas típicas); o Doiz (Rua Capitão Salomão, 55, Humaitá, tel.: 21 2179-6620. 19h/2h, sex. e sáb. até 3h30; fecha dom. www.doiz.com.br), com clima de boate e decoração moderna; e o Stuzzi (Rua Dias Ferreira, 48, Leblon, tel.: 21 2274-4017. 19h/1h, qui. a sáb. até 3h. www.stuzzibar.com.br), um bar de tapas à italiana. Já considerado um veterano na turma, o Venga! (Rua Dias Ferreira, 113, loja B, Leblon, tel.: 21 2512-9826. 12h/1h, seg. 18h/0h. www.venga.com.br), inaugurado em 2009, segue concorridíssimo com suas especialidades espanholas acompanhadas de sangria.

Tomar café da manhã no Talho Capixaba

Essa simpática padaria e delicatessen no Leblon ganhou, pela terceira vez, o prêmio de melhor pão da cidade na edição “Comer & Beber” de VEJA RIO. Mérito do pão de leite, da baguete terroir sempre crocante, do pão de três cereais, dos brioches franceses, dos croissants, dos folhados... O Talho foi campeão também no quesito melhor empada — ela é feita com uma massa amanteigada recheada de diversos sabores (de palmito a alho-poró) (Avenida Ataulfo de Paiva, 1022, lojas A e B, tel.: 21 2512-8760. 7h/22h. www.talhocapixaba.com.br). 

Mr. Lam - Rio de Janeiro 2249
Mr. Lam: chinês que inclui camarões empanados ao molho de gengibre e pato laqueado (Foto: Marcos Pinto)

Conhecer os novos restaurantes que estão dando o que falar

Dono de uma constelação cada vez maior no quesito restaurantes, o Rio tem surpreendido com novas casas que já nascem estreladas. Até o empresário Eike Batista se aventurou no ramo, com o Mr. Lam (Rua Maria Angélica, 21, Lagoa, tel.: 21 2286-6661. 19h/0h30, sex. e sáb. até 1h30, dom. 13h/23h30. www.mrlam.com.br), um chinês pomposo que inclui, entre as receitas, camarões empanados ao molho de gengibre e pato laqueado. O francês Claude Troisgros mal inaugurou sua quarta casa, a CT Boucherie (Rua Dias Ferreira, 636, Leblon, tel.: 21 2529-2329. 12h/16h e 19h/0h, sáb. e dom. 12h/1h. www.ctboucherie.com.br), e já faturou o título de melhor carne da cidade na última edição “Comer & Beber” da VEJA RIO. Basta escolher a carne e os acompanhamentos vêm em sistema de rodízio: tem purê de batata-baroa, risoto de quinoa com cogumelos, legumes na manteiga... Recém-aberto, o Irajá Gastrô (Rua Conde de Irajá, 109, Botafogo, tel.: 21 2286-4249. 20h/0h, sex. e sáb. até 1h30; fecha seg. www.irajagastro.com.br), do chef Pedro de Artagão, serve receitas contemporâneas de forte sotaque brasileiro. No menu, pirarucu com sauté de banana e palmito fondant ao vinagrete de dedo-de-moça e costelinha com bolo de fubá ao queijo grana padano com maçãs carameladas. O que você busca é ousadia? Então a dica é provar as pirotecnias do chef Felipe Bronze, fã das esferas, espumas e desconstruções. Para compreender as criações do Oro (Rua Frei Leandro, 20, Jardim Botânico, tel.: 21 2266-7591. 19h30/0h, fecha dom. www.ororestaurante.com), a pedida é um dos menus degustação.

Perder-se em lojinhas descoladas

Pode ser um adesivo de parede, uma bandeja, um broche, uma luminária ou uma camisola dos anos 20. É tudo delicado e feminino no Atelier Clementtina (Rua Lopes Quintas, 147, Jardim Botânico, tel.: 21 3205-1035. 11h/20h, sáb. até18h; fecha dom. atelierclementtina.blogspot.com). A loja promove, ainda, dias temáticos com pocket shows, manicure e cabeleireiros. Quem procura artigos com a cara do Rio pode ir diretamente à Gilson Martins (Rua Visconde de Pirajá, 462 B, Ipanema, tel.: 21 2227-6178. 9h/20h. www.gilsonmartins.com.br).O designer que hoje exporta suas criações para os quatro cantos ganhou fama com a Linha Brasil, que inclui bolsas e carteiras estampadas com a bandeira nacional. Existem ainda outras coleções inspiradas em elementos típicos cariocas. Já a Besi (Rua do Carmo, 61, Centro, tel.: 21 2224-1942. 9h/19h30, sáb. 11h/15h, fecha dom. www.besi.com.br) é especializada em móveis e artigos para a casa. Tem um bom café anexo que serve lanchinhos. 

Aterro do Flamengo - Rio de Janeiro 2249
Aterro do Flamengo: opção para fugir da muvuca do Leblon (Foto: Flavio Veloso/Opção Brasil Imagens)

Caminhar no Aterro do Flamengo

A ideia é fugir da muvuca do calçadão do Leblon. A recompensa de ir ao Aterro do Flamengo? Um parque verdinho com lindos jardins projetado por Burle Marx, com ciclovia, quadras de esportes e pista de cooper.

Fonte: VEJA SÃO PAULO