Mistérios da Cidade

Livro resgata revistas de resistência durante a ditadura

Publicação reúne 300 capas de veículos como "Opinião" e "O Pasquim"

Por: Maurício Xavier [com reportagem de Pedro Henrique Araújo e Nathália Zaccaro]

As Capas desta História - Mistérios 2241
"As Capas desta História": Ricardo Carvalho resgata publicações que resistiram à ditadura (Foto: Reprodução)

Lançado na terça-feira (25), o livro “As Capas Desta História” (Instituto Vladimir Herzog; 188 páginas; 90 reais), do jornalista Ricardo Carvalho, resgata reportagens e bastidores da imprensa brasileira durante o regime militar, com 300 capas de veículos alternativos de comunicação. Abaixo, algumas das primeiras páginas emblemáticas de publicações que circulavam em São Paulo.

"OPINIÃO"

Criado em 1971 pelo empresário Fernando Gasparian, o semanário foi conduzido por um grupo de jornalistas radicados na cidade. Era uma ampla frente de oposição à ditadura e foi interrompido em 1977. Nesta capa de seu último ano, uma provocação a Ernesto Geisel.

Revista Opinião 2241
(Foto: Reprodução)

"UNIDADE"

Coordenada por Fernando Pacheco Jordão e José Hamilton Ribeiro, esta edição do Unidade, periódico do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo, publicada em 1975, denuncia a tortura de membros do PCB e desmente a versão oficial sobre a morte de Vladimir Herzog.

Revista Unidade 2241
(Foto: Reprodução)

"O PASQUIM"Agentes do DOI-Codi invadiram a redação e interromperam o fechamento do jornal que trazia a capa abaixo, de 1969, levando os jornalistas presos. Outro grupo retornou ao local e terminou o trabalho. Para permanecer nas bancas, contou com a mobilização de jornalistas, escritores e artistas. Era o primeiro ano do título, produzido no Rio e festejado pela militância daqui, que durou até 1991.

Revista O Pasquim 2241
(Foto: Reprodução)

Fonte: VEJA SÃO PAULO