Do Oriente

Popular no Japão e em outros países da Ásia, lámen cai bem no inverno

Macarrão, algas, carne, vegetais e um caldo saboroso compõem o prato, perfeito para os dias frios. Confira endereços para provar essa delícia

Por: Victória Kennedy - Atualizado em

Lamen Kazu
Lamen Kazu: filas para comer o clássico prato asiático (Foto: Fernando Moraes)

Assim como diversos pratos orientais, o paulistano também adotou o lámen como uma de suas receitas favoritas. Prova disso são as filas que se formam para experimentar as diferentes versões desse macarrão servidas em restaurantes clássicos da Liberdade, como o Lamen Kazu e o Aska.

+ Bufês de sopas para se servir à vontade

+ Restaurantes incrementam menus com sopas e caldos

Essa massa fresca é servida em um caldo, que pode ser de shio (sal), shoyu e missô, por exemplo, acrescido de ingredientes como ovo, pernil, broto de bambu, algas e cogumelos, entre outros. Quente, é um prato perfeito para o inverno _ainda que existam também versões frias da receita.

Confira abaixo onze endereços para comer lámens saborosos:

Aska: é a mais típica casa de lámen da cidade, onde o cliente é recebido com um irasshaimase (“seja bem-vindo“ em japonês). Localizada na Liberdade, acomoda os clientes em mesinhas ou direto no balcão, de onde é possível acompanhar a dinâmica da cozinha. São apaenas quarenta lugares. Das receitas de lámen, o tonkotsu missô leva ovo cozido, missô, verduras e fatias de carne de porco (R$ 15,00). Não se surpreenda se ouvir pessoas fazendo barulho ao sugar o macarrão. Isso é comum no Japão e serve como elogio para quem preparou a comida.

Lamen Kazu: japoneses e ocidentais se espremem no local para provar o macarrão ensopado. Além do cardápio fixo, com três tipos de caldo, missô (R$ 28,00), shoyu e shio (R$ 25,00 cada), o restaurante oferece pratos sazonais. A sugestão atual é o picante kara misso lamen (R$ 33,00). Broto de bambu, algas, ovo cozido e muitos legumes aparecem na maioria dos pratos. Dica: vá com fome, as porções são bem grandes.

Miyabi: o chef japonês Yasushi Hara prepara uma única versão do prato em seu restaurante, localizado na Av. Paulista. É o shoyu lámen a moda de Tóquio. O caldo à base de shoyu agrega algas, broto de bambu, um ovo (cozido anteriormente no shoyu) e fatias de carne de porco (R$ 30,00 almoço; R$ 35,00 jantar).

Mussashi Yakissobateria: a casa localizada na Liberdade serve pratos das culinárias japonesa e chinesa em sistema de fast-food. Entre os mais pedidos estão yakissoba, lámen e teppanyaki, acompanhados de guioza ou tempurá. O lámen é servido com generosidade por lá e a receita segue a tradicional (R$ 20,00). 

Ramen Ya: entre os doze sabores de lámen, o tantanmen é o mais pedido. Composto por moyashi, cebolinha, wakame, menma, carne suína, tarrine e layu (R$ 19,00), o caldo é levemente apimentado.

Aska - lamén
Aska: faz lámen com ovo, carne de porco, algas e legumes (Foto: Denise Akemi/ Divulgação)

Hideki: o forte são os pratos quentes, como o ishikari-nabe, um ensopado de salmão com verduras em caldo de missô, além do famoso missoshiru. O lámen segue a linha clássica com carne de porco, moyashi, algas e legumes (R$ 35,00).

Hinodê: o lámen tradicional vem ensopado com carne, legumes e cogumelos, como deve ser (R$ 35,00). Missô lámen também está no cardápio (R$ 39,00).

Sushiguen: tradicional no Paraíso, dedica parte considerável de seu cardápio ao prato. A opção chamada yassai lámen é uma das especialidades, composta de omelete ao estilo japonês, caldo de frango e muitos legumes (R$ 30,00).

Rong He: o restaurante, que é chinês, tem duas unidades na cidade (Paraíso e Liberdade) e prepara a receita tradicional. O diferencial é o tamanho do prato, que serve três pessoas tranquilamente. Algas, carne de porco, legumes e um ovo cozido aparecem no caldo à base de shoyu (R$ 25,00). Serve também uma versão com frutos do mar (R$ 33,00).

Pub Kei: especializado na culinária oriental, a casa fica na Bela Vista e serve um lámen com moyashi, kamaboko (massa de peixe), carne de porco, algas chineses e o macarrão, tradicionalmente fininho (R$ 33,00).

Tanuki: o espaço é reduzido, diferentemente do extenso cardápio de pratos crus e opções de lámen. As bowls são grandes e podem ser divididas, o que deixa o jantar mais em conta. Confira a versão que vem com frutos do mar na composição (R$ 42,00).

Fonte: VEJA SÃO PAULO