Gastronomia

Restaurante bom e barato: francês

Sócio administrador do Le Jazz Brasserie, Gil Carvalhosa Leite explica como o bistrô se tornou um negócio lucrativo

Por: Arnaldo Lorençato - Atualizado em

Chef Chico Ferreira, do Le Jazz
O chef Chico Ferreira, do Le Jazz Brasserie: filas para degustar suas iguarias (Foto: Fernando Moraes)

Um dos maiores êxitos entre os restaurantes da cidade, o primeiro Le Jazz Brasserie foi aberto no fim de 2009 com um investimento de 400.000 reais pelo restaurateur Gil Carvalhosa Leite e pelo chef Chico Ferreira, dupla que está à frente de um grupo de sete sócios. Passou a ocupar um pequeno imóvel na Rua dos Pinheiros, onde antes funcionava uma oficina mecânica. O restaurante chamou a atenção do público por oferecer pratos da culinária clássica francesa a preços razoáveis. Desde o início inundado diariamente por uma legião de pessoas, é uma prova de que o binômio qualidade-preço é essencial para fidelizar a clientela. Em agosto, quase três anos depois de ter sido inaugurado o primeiro endereço, surgiu a segunda unidade, em uma das ruas mais nobres dos Jardins. Na nova casa, adota-se a mesma política de preços, o que lhe garante o salão sempre cheio. Dessa vez, Leite diz que o investimento foi de aproximadamente 1,4 milhão de reais. É possível ganhar dinheiro nesse tipo de negócio? “Lucramos, sim, mas com uma margem em torno de 10% a 15%, menor que a da maioria dos concorrentes”, garante Leite. Para chegar a esse resultado tão positivo, os dois bistrôs precisam estar sempre lotados.

+ 35 endereços que não esfolam o bolso do cliente

BISTRÔ CONTIDO NOS CIFRÕES

Água filtrada do Le Jazz
Água filtrada do Le Jazz: para a conta não pesar no bolso do cliente (Foto: Mario Rodrigues)

Le Jazz Brasserie

Um estouro de público desde a estreia em Pinheiros, o Le Jazz ganhou uma filial de igual sucesso nos Jardins. Atraem multidões de gourmets — entre os quaiso ex-banqueiro Edemar Cid Ferreira em tempos de crise — clássicos francesesexecutados com habilidade pelo chef Chico Ferreira, entre eles o hachisparmentier (um escondidinho de batata com rabada; R$ 27,00) e o fígado de boi acebolado com fritas e salada (R$ 26,00), este só nos Jardins.Para a conta não pesar, há gentilezas como servir a água filtrada de cortesia.

+ Alemão

+ Árabes

+ Brasileiros

+ Carnes

+ Chineses

+ Contemporâneo

+ Espanhol

+ Indiano

+ Italianos

+ Japonês

+ Naturais

+ Português

+ Variados

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO