ROTEIRO

Os restaurantes mais badalados de São Paulo

O Aragon, de cozinha ibérica, e o italiano Nino Cucina estão entre os endereços mais concorridos da cidade

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

NINO COCINA
NINO COCINA (Foto: Ligia Skowronski)

O abre-e-fecha de restaurantes em São Paulo é intenso. Há endereços, porém, que são um sucesso de público e, com frequência, têm espera para conseguir uma mesa.  É o caso do Nino Cucina, onde as filas chegam a duas horas aos sábados.

+ Saiba mais sobre o Nino Cucina

Confira, abaixo, as dez casas mais badaladas da cidade.

Aragon: não raro, o público animado conversa e beberica na calçada em frente à casa. A culinária ibérica dá o tom ao cardápio, em receitas como o apetitoso arroz de pato (R$ 96,00) e o bacalhau à lagareiro (R$ 121,00). Ambos para duas pessoas.

Aragon - Bacalhau à lagareiro, com batata e pimentão
Bacalhau à lagareiro, com batata e pimentão (Foto: Fernando Moraes)

Arturito: muita gente vai ao local só para ver a sócia e chef Paola Carosella, jurada do MasterChef Brasil. A argentina prefere, porém, ficar na cozinha, de onde expede o peixe do dia, que pode ser a pescada amarela, de pele crocante com brócolis tostado e tahine (R$ 72,00).

Chou: está sempre concorrido não só pelo ambiente, com direito a um agradável quintal, mas também pelas receitas bem preparadas de Gabriela Barretto. Uma delas é a bisteca suína com sálvia, manteiga e limão (R$ 54,00). Para acompanhar, batata-doce (R$ 13,00).

Chou - Bisteca suína com manteiga e limão
Bisteca suína com manteiga e limão (Foto: Ricardo D'angelo)

Cozinha 212: o público jovem costuma lotar as mesas neste endereço desde a abertura, em maio. Do salão da casa, dá para ver a grelha, onde é finalizada a maioria dos pratos. O polvo na brasa ao aïoli feito com óleo de linguiça espanhola custa R$ 48,00 e faz sucesso.

Cozinha 212
O Cozinha 212 em um jantar de terça: lotado desde a inauguração (Foto: Clayton Vieira)

La Peruana Cevichería: as receitas que não pesam no bolso são responsáveis pelas inevitáveis filas dos fins de semana. Boa pedida, o ceviche clássico (pescada-branca em caldo de limão, temperos, pimenta com milho e purê de batata-doce) sai a R$ 25,00

MoDi: tem duas concorridas e bombadas unidades, onde são servidas pedidas italianas a preços razoáveis. Prove a lasanha de berinjela com massa branca e verde ao molho de tomate e pesto (R$ 35,00).

Nino Cucina: chegar de supetão em um sábado significa aguardar até duas horas por um lugar. Fazem sucesso pratos clássicos da Itália, como o espaguete à carbonara (R$ 53,00). De sabor intenso, faz uma boa combinação de guanciale, ovo caipira e queijo pecorino.

Più: é o mais bombado de uma rua tranquila pela qual se espalham vários restaurantes, sempre com filas na porta. O chef e sócio Marcelo Laskani apresenta sugestões italianas como o stinco de leitão servido na companhia de purê de batata-doce (R$ 59,00).

Più
Stinco de leitão com nhoques dourados no azeite (Foto: Fernando Moraes)

Sal Gastronomia: a combinação de um salão minúsculo e de um chef famoso no comando, no caso, Henrique Fogaça, do MasterChef, resulta em filas. Compensa a espera a moqueca de peixe com banana-da- terra (R$ 78,00).

Suri Ceviche Bar: os pratos do chef colombiano Dagoberto Torres atraem muitos clientes. Uma dessas receitas é o chingon, tiradito de peixe branco temperado com pimenta chiplote, tomate verde, azeite, cebolinha, limão e coentro. Custa R$ 35,00.

Fonte: VEJA SÃO PAULO