Terraço Paulistano

Sócios do restaurante Jam Warehouse processam construtora

Por conta de obras vizinhas, a estrutura do estabelecimento teria sido abalada

Por: João Batista Jr.

Rodrigo Fróes - Terraço - 2217
Fróes: o pedido de indenização inclui a gorjeta dos garçons (Foto: Mario Rodrigues)

Depois de enfrentar desnivelamento do solo, rachaduras nas paredes e quebra de azulejos, o restaurante Jam Warehouse fechou as portas de sua unidade no Itaim Bibi. Segundo Rodrigo Fróes, sócio da casa, os problemas na estrutura do imóvel seriam de responsabilidade da Gafisa. A construtora está levantando dois edifícios no terreno vizinho. “Por culpa da obra, meu restaurante quase desmoronou”, afirma Fróes. “Fiz reuniões e apresentei laudos que provavam os problemas, mas nada foi feito.” Indignado com a história, ele entrou com uma ação, acatada pela Justiça na última segunda (9), pedindo o embargo da construção. “A Gafisa concordou em, além de arcar com os reparos, apurar em conjunto com o proprietário o valor justo pelo período de não funcionamento do restaurante”, diz Glaico Araújo, diretor de operações da empresa. “Quero receber cada centavo do meu prejuízo, incluindo os 10% referentes à gorjeta para dar aos funcionários pelos estimados noventa dias que ficaremos parados”, avisa Fróes.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO