Gastronomia

Cinquenta bons endereços dedicados à culinária japonesa na cidade

Casas da especialidade compõem um roteiro dos melhores lugares de São Paulo

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

HIRÁ RAMEN IZAKAYA - macarrão no missô
Macarrão no missô: no menu do Hirá Ramen Izakaya (Foto: Ligia Skowronski )

Os tradicionais sushis convivem hoje com novidades que caíram no gosto paulistano, a exemplo do lámen. Para celebrar o momento de alta da cozinha japonesa por aqui, os críticos de VEJA SÃO PAULO elaboraram um guia com os melhores lugares na cidade para quem aprecia a culinária do país oriental, entre restaurantes, bares e casas de comidinhas. 

 

♦ RESTAURANTES 

1. Aizomê: vale a pena sentar-se em torno do balcão e provar o sashimi em cinco peças de pargo (R$ 28,00) ou carapau (R$ 23,00). A sócia Telma Shiraishi encarrega-se de dirigir a equipe e preparar receitas quentes, como o saboroso peixe branco numa reinterpretação do clássico molho à belle meunière feito com maracujá (R$ 45,00).

Aya - Salmão ao Molho de Laranja
Salmão ao molho de laranja: receita do Aya (Foto: Marco Pinto )

2. AyaJapanese Cuisineembora não seja descendente de orientais, o chef e sócio paulista Juraci Pereira (ex-braço-direitodo premiado sushiman Jun Sakamoto) faz desta casa uma das melhores da categoria. Custa R$ 47,00 o tartare de vieira com atum e foie gras mais sal trufado. Das opções quentes, vá de salmão ao molho de laranja (R$ 53,00).

By Koji - porção de sashimi
Porção de sashimi: peixes frescos no By Koji (Foto: Mario Rodrigues )

3. By Kojio endereço do chef Koji Yokomizo tem localização inusitada: fica dentro do Estádio do Morumbi. Dá para observar o gramado enquanto se saboreia uma porção de sashimi (R$ 45,00,sete fatias). Também há o usuzukuri de peixe branco ao molho cítrico (R$ 50,00).

4. Djapafunciona apenas no sistema de rodízio (R$ 85,00). Durante a semana no almoço, serve uma versão reduzida por R$ 55,00. A qualidade das matérias-primas mantém um bom padrão. Das pedidas frias, há sashimi de polvo, atum, peixe-prego, dourado e salmão. 

5. Geiko-Santanto na decoração quanto no cardápio, é um local modernete. Em dois andares decorados com grafites de motivos orientais, o sushiman Fabrizio Matsumoto (ex-Nagayama) serve o top ten, que combina cubos de camarão empanados com maionese picante,ou seja, batida com pimenta (R$ 35,00).

6. Hamatyoé uma casa muito, muito tradicional. Farto para uma pessoa, o prato de sushi que leva o nome da casa (R$ 200,00, com dezesseis itens) traz os melhores peixes do dia, que podem ser sardinha, carapau e atum gordo.

7. Huto: comandada por Fabio Yoshinobu Honda, que foi maître de Jun Sakamoto, a casa só abre no jantar. No ambiente intimista e de luz calculada, o ruidoso público pode provar sushis de pegada moderninha, como o de vieira canadense salpicada de sal negro (R$ 14,00 a unidade).

Shio lámen - Lamen Kazu
Massa no caldo de sal: opção do Lamen Kazu leva lombo, cebolinha, broto de bambu e alga (Foto: Fernando Moraes)

8. Jam — Japanese Food, Arts & Music: músicos cantam em volume moderado canções de pegada pop enquanto o público animado divide combinados. O traditional combination, composto de 35 peças, entre sashimis e bolinhos de arroz com peixes variados, sai a R$ 124,00. 

Jun Sakamoto
Jun Sakamoto: degustação para apenas oito pessoas (Foto: Mario Rodriques )

9. Jun Sakamoto: é o melhor restaurante japonês da cidade pela mais recente edição do especial VEJA COMER& BEBER. Apenas oito pessoas por noite são atendidas pelo sushiman Leonardo Jun Sakamoto (as reservas são obrigatórias e concorridas). Os outros clientes ficam a cargo da equipe dele. Paga-se o valor de R$ 365,00 pela degustação de dezesseis sushis. 

10. Junji Sakamoto: trata-se do endereço caçula e mais informal do premiado chef Jun Sakamoto. Dos pratos quentes, aposte no teppan yakide ribeye (R$ 93,00). 

Kan Suke: menu degustação
Degustação: a pedida no Kan Suke (Foto: Mario Rodrigues )

11. Kan Suke: minúscula, a casa já foi considerada duas vezes a melhor de sua categoria por VEJA COMER &BEBER. Fera em sua arte, o chef Keisuke Egashira fatia peixes como poucos. A melhor maneira de conhecer seu trabalho é saborear a degustação, a R$ 240,00 (ou R$ 260,00 com pratos quentes), que inclui sashimi de toro sobre cerâmica aquecida e o sushi de carapau marinado e queimado no maçarico com salsinha e gengibre ralado.

12. Kinoshitao cardápio tem pratos preparados pelo chef e sócio Tsuyoshi Murakami e por sua equipe de auxiliares. Entre as pedidas está o apetitoso lámen fresco com ovo orgânico e pancetta mais um toque picante (R$ 50,00). 

13. Kosushi: a dupla de casas comandada por George Yuji Koshoji agrada pelos ambientes bem atraentes. Boa entrada, o tuna tai (R$ 44,00) vem na forma de finas fatias de atum banhadas em molho cítrico e salpicadas de folhas desidratadas de shissô.

14. Kidoairaku: lugar da Liberdade de jeitão familiar, com uma raquete mata-moscas e muitos calendários pendurados na parede. O cardápio é mutante. À noite, costuma aparecer o prego temperado com missô e grelhado na companhia de nabo ralado (R$ 36,00). Outra atração, o tonkatsu (porco à milanesa) sai a R$ 61,00.

15. Lamen Kazu: ficar na fila já era praxe por aqui quando a modinha do lámen não havia tomado conta da cidade. Antes de provar os macarrões mergulhados em caldo, como o shio (R$ 29,00), vai bem a porção de guioza de carne de porco (R$ 23,00).

Nagayama - tataki de atum
Nagayama: pratos com o tataki de atum (Foto: Fernando Moraes)

16. Nagayama: o restaurante número 1 do empresário Mario Nagayama investe em uma boa oferta de peixes, sempre frescos e saborosos. São de primeira os sashimis de robalo (R$ 80,00; vinte fatias) e serra (R$ 72,00). Peça ainda o tataki de atum (R$ 74,00).

17. Nagayama Cafécolado ao Nagayama, essa versão “café” tem cardápio quase idêntico e fica em um imóvel de esquina com pé-direito alto e ambiente moderno. O yakissoba de frutos do mar sai a R$ 88,00. 

18. Nagado mesmo dono do Nagayama, tem uma atmosfera mais requintada que a de seus irmãos mais velhos. As receitas são preparadas sob a orientação do chef An Qiang, caso das patas de caranguejo chileno (R$ 180,00). 

19. Nakka: badalado endereço do Itaim, onde impera o clima de ver e ser visto do salão de fachada envidraçada repleto de jovens arrumados. Para dar conta do movimento, atrás do balcão uma equipe de sushimen bem agitada expede sushis como o especial da casa (R$ 88,00), composto de pares de bolinhos de arroz cobertos por pescados como vieira, buri, salmão e atum.

NOSU - combo de almoço
Combo de almoço: especialidade do Nosu (Foto: Ligia Skowronski )

20. Nosu: é difícil não reparar no belo salão de pé-direito alto revestido de bambu. Os pratos variam de receitas clássicas, caso da tenra robata de rã, o espetinho típico, aos sushis em pares com peixes como pargo e buri. Cada uma dessas pedidas custa R$ 18,00. Durante a semana, há um atraente almoço executivo por R$ 49,00. Ele inclui tartare, temaki, caixa com sashimi e sushi, além de sobremesa.

21. Ohka: geralmente há espera para conseguir uma das disputadas mesas no salão escurinho, aberto exclusivamente para o jantar. No formato de combinado de sushis e sashimis, a opção do chef sai por R$ 90,00 e leva os peixes mais frescos do dia. 

22. Sakagura A1: o chef japonês Shin Koike consegue uma interessante mistura de perfis de público no salão de decoração sóbria. Aparecem entre as sugestões do menu o ceviche de vieira (R$ 30,50) e o par de sushi de atum com azeite de trufa (R$ 19,00). 

23. Sendai: a casa faz parte do circuito de restaurantes tradicionais da Liberdade. Nascida em 1978, conserva um ambiente das antigas. Em uma chapa bem quente, o teppan yaki misto (R$ 75,50) vem com uma mistura de atum, lula, carne e vegetais. Acompanham a pedida arroz e um saboroso missoshiru. 

24. Shigue: um casal comanda o negócio: Enilva Hata, que toma conta do salão, e o sushiman Armando Shigueyoshi Hata. Não deixe de pedir sashimis louváveis, como o olho-de-boi e atum (R$ 77,00 a porção de quinze unidades).

25. Shigueru: sob o comando do experiente sushiman Shigeru Hirano, a casa tem clima acolhedor e atendimento muito gentil. Pelo combinado de 42 peças com atum, salmão e carapau, entre outros pescados do dia, pagam-se R$ 205,00. 

Shin-Zushi
Combinado com peixes e tempurá de camarão e legumes: do Shin-Zushi (Foto: Mario Rodrigues)

26. Shin-Zushi: não sai barato comer no balcão comandado por Marco Keniti Mizumoto, o Ken. Mas a recompensa aparece assim que se inicia a degustação (R$ 280,00), oferecida apenas no jantar. Sempre mutante, pode trazer itens como o sushi de sardinha com cebola e de camarão com shissô.

27. Sushiguen: com jeitão de antigamente, a casa fica numa galeria próxima à Avenida Paulista. Das mãos do proprietário Mitsuaki Shimizu, um dos sushimen mais antigos da capital, sai o tirashi, um sushi montado na tigela como arroz no fundo e uma profusão de pescados por cima — os preços variam de R$ 66,00 a R$ 120,00, de acordo com os ingredientes escolhidos. 

28. Sushi Kiyo: o experiente sushiman Kiyomi Watanabe, que trabalha ao lado do filho Carlos, foi um dos primeiros a servir combinados na cidade. Um desses combos de sashimi e sushi, para duas pessoas, recebe o apelido de especial (R$ 210,00) e compõe-se de 42 peças.

29. Sushi Lika: simpatia é a palavra de ordem no atendimento na casa do sushiman baiano Josino de Souza, o Lika, e sua mulher, Essoe. Se quiser um combinado, o individual traz 24 peças (R$ 95,00).

30. Tanaka: o sushiman e proprietário Toshio Tanaka não arreda pé de trás do balcão, de onde expede sugestões como o grandalhão temaki de atum (R$ 35,00).

31. Tanuki: os frequentadores assíduos dividem-se entre o balcão, as mesas apertadinhas do térreo e os tatames do piso superior. Há opções interessantes para compartilhar, como o super tokujô (R$ 339,00), de 75 peças divididas entre seis tipos de pescado, polvo, camarão e caranguejo.

32. Tempura Ten: razão de ser da casa, os tempurás sob uma tela de farinha crocante continuam os melhores da cidade. Serve-se a cada noite apenas a refeição completa em forma de degustação (R$ 120,00).

33. UNo chef Tadashi Shiraishi faz um trabalho de excelência. Os pares de sushi têm arroz de cozimento e tempero impecáveis. Vá nas duplas graçainha (R$ 16,00), lírio (R$ 18,00) e carapau (R$ 16,00). 

34. Yakitori: aqui, o que importa são os espetinhos de frango, conhecidos como yakitori. Da churrasqueira vêm pedidas como o fígado (R$ 6,50) e também um item raro por aqui mas muito comum no Japão: a cartilagem da coxa com um pouco de carne (R$ 7,50).

35. Z|San: pertence ao Grupo Egeu e tem cardápio de Jun Yamauchi (ex-Nagayama). Na linha invencionices benfeitas, há o trio de tortilhas de frutos do mar (R$ 38,00, seis unidades). 

+ Restaurantes que ficam perto do metrô

 

♦ BARES

36. Hirá Ramen Izakaya: à frente do boteco moderno, o chef Daniel Parolin Hirata prepara os apetitosos hirá buns (R$ 23,00), dupla de pães chineses no vapor recheados de barriga de porco e pepino que são lambuzados de molho de missô e pimenta e aïoli com leite. O lámen pode vir mergulhado em caldo de pasta de soja com fatias de pancetta, alga, ovo cozido, massa de peixe e vegetais (R$ 38,00). 

Huto Izakaya - espetinhos na grelha
Espetinhos na grelha: destaque no Huto Izakaya (Foto: Ricardo D'Angelo )

37. Huto Izakaya: endereço bem moderninho e de cenário intimista. Agradam em especial as robatas, ou espetinhos na grelha a carvão. Há versões como tentáculo de lula ao missô e maracujá e de robalo com a erva shissô, umeboshi e for de sal (R$ 12,00 cada um).

38. Ikeda Ya: entre os petiscos simples e benfeitos criados pelo proprietário Mário Ikeda está o saboroso okonomiyaki (R$ 35,90 o grande), que lembra uma panqueca de massa leve feita com lula e camarão. Chamadas de wantomoe (R$10,90 a porção), as trouxinhas de massa crocante recheadas de carnes bovina e suína ao gengibre ganham a companhia de maionese de wassabi.

39. Izakayada: bonequinhos de Ultraman e um Godzilla enfeitam as estantes feitas de caixotes. Peça as boas costelinhas de porco marinada sem mel e laranja lambuzadas de molho tarê com uma dose de uísque (R$ 22,00). 

40. Izakaya Issa: comece com o saquê extrasseco Hakuro geladinho (R$ 23,00 a dose). A bebida de sabor suave faz boa companhia à porção de quatro entradas (R$ 24,00), que costuma trazer em potinhos raiz de lótus fatiada e cebolinha temperada com missô e wasabi.

Izakaya Matsu
Asinhas de frango: petisco premiado do Izakaya Matsu (Foto: Fernando Moraes)

41. Izakaya Matsu: abocanhou o prêmio de melhor petisco na mais recente edição do especial VEJA COMER & BEBER, graças às deliciosas asinhas de frango — ou tebasaki (R$ 25,00) —, de pele bem crocante. O petisco vai além do gosto salgadinho: dá para perceber um toque picante e uma nota adocicada enquanto se saboreia a carne e as mãos se lambuzam.

42. Minato Izakaya: de pegada moderninha, recebe um público descolado no salão de iluminação baixa. Entre os tira-gostos frios, estão as ostras vindas de Florianópolis cobertas pelo cítrico molho ponzu, deshoyu, vinagre e limão (R$ 35,00). De prato quente, há língua bovina frita coberta por molho picante (R$ 28,00).

43. Quito Quito Izakaya: Kaori Muranaka é a chef que veio das ilhas japonesas Ogasawara especialmente para cozinhar no espaço idealizado pelo irmão Takahiro. Em seu cardápio, o butano kakuni consiste em uma macia barriga de porco cozida na mistura de shoyu, saquê e açúcar mascavo (R$ 42,00). 

44. Tan Tan Noodle Bar: não raro, aguardam-se mais de duas horas por um assento no exíguo salão com 24 lugares. Depois de acomodado, agrada em cheio o noodle tan tan: mergulhados em um saboroso caldo de galinha, os fos de lámen com copa moída, broto de feijão, gergelim e acelga chinesa trazem um delicioso ovo cozido com uma incrível textura cremosa (R$ 34,00).

45. Taka Daru: é da grelha a gás que pulam boas virtudes do novo bar: os espetinhos, em versões como fígado de galinha (R$ 4,80) e ovo de codorna ao molho tarê (R$ 5,20). Peça também a barriga de porco picadinha com acelga picante (R$ 22,80).

+ Bares para curtir até de madrugada

 

♦ COMIDINHAS

46. Bakery Itiriki: vende quitutes de sotaque oriental como kare pan, uma massa frita recheada de frango e legumes ao curry (R$ 9,50), e o pãozinho doce de feijão-azuqui (R$ 9,50). 

Hirota Food Express
Comida pronta: Hirota Food Express (Foto: Valdir Reis )

47. Hirota Food Express: faz parte de uma rede de supermercados com dezessete endereços em São Paulo. Nas prateleiras,em meio a cerca de 3 000 itens, destacam-se as comidas frescas de produção própria, prontas para levar ou comer no local. É o caso do obentô tonkatsu com flé de copa lombo suíno, empanado que custa R$ 19,98. No último dia 10, a marca inaugurou outra loja nos mesmos moldes, no Shopping Eldorado. 

48. Temakeria e Cia: produz temakis fartamente recheados a preços moderados. Um cone de salmão custa R$ 12,50 na porção de 80 gramas. Numa versão mais incrementada, esse mesmo peixe chega combinado a cream cheese, amêndoas e raspas de limão (R$ 17,90, 80 gramas).

49. Yoka: o pequeno salão da pastelaria costuma ficar apinhado. Além dos sabores triviais, uma opção japonesa e diferentona mistura tofu, cogumelo shiitake, kamaboko (uma massa de peixe) e cebolinha a R$ 9,80. Prove ainda o delicioso bolinho de bacalhau (R$ 8,00).

50. Yokoyama: embora antigona, esta é uma pastelaria cara, na qual o salgado pode sair por até R$ 15,00, como é o caso do recheado de bacalhau. A qualidade do produto, porém, não é questionável. Agradam os sabores mais usuais, como frango, pizza, carne com mussarela e calabresa (R$ 8,50 cada um).

+ Seis bolos muito recheados que valem a pena experimentar

Fonte: VEJA SÃO PAULO