Sem sustos

Fuja das roubadas e aproveite o melhor do Restaurant Week

Nomes franceses ou italianos que escondem pratos simples e complementos não inclusos no menu promocional podem provocar surpresas desagradáveis

Por: Daniel Ottaiano - Atualizado em

Fila - Restaurante - Mancini
Reserve: restaurantes costumam ter longas filas durante o evento (Foto: Ligia Skowronski)

E eis que você, diante do tamanho do São Paulo Restaurant Week, vê-se perdido. Afinal, são 233 casas participantes na capital. Diante de tantos menus promocionais, como escolher os melhores? Como fuigir das roubadas? Para ajudá-lo a ter boas experiências até o próximo dia 3 de abril, VEJA SÃO PAULO separou dez dicas preciosas:

+ Restaurant Week 2011 reúne 233 casas da capital

1 - Estude os cardápios antes de escolher o restaurante

O que vale não é apenas o prato principal. Entrada e sobremesa também fazem parte do pacote. "Salada verde" e "fruta do dia" podem fazer aquele menu não valer a pena. Também não se deixe enganar por termos estrangeiros: budino di latte condensato, por exemplo, nada mais é que o nosso conhecido e batido pudim de leite condensado.

2 – Escolha uma casa que agrade a todos

Os menus são enxutos e a tarefa não é fácil. Mas para você e seus acompanhantes aproveitarem ao máximo, faça uma votação para selecionar o cardápio que deu água na boca de todos.

3 – Eleja restaurantes que valham a visita

O evento foi feito para que você vá àquele lugar bacana que ainda não teve tempo ($$) de visitar. Portanto, veja se a casa realmente está fazendo uma promoção para recebê-lo. Em alguns casos, restaurantes entram no evento só para ganhar dinheiro e oferecem pratos pelo mesmo preço comumente praticado por eles.

4 – Diversifique

Não aproveite o Restaurant Week para voltar àquele estabelecimento que você já conhece e gosta. A ideia é explorar as novidades, buscar novas casas prediletas.

5 – Reserve mesas

No mínimo, ligue para a casa que você escolheu visitar antes de sair. As filas costumam ser grandes durante o Restaurant Week. Além disso, alguns locais têm o péssimo hábito de dar preferência aos clientes habituais, deixando os comensais que querem aproveitar a promoção em segundo plano.

6 – Prepare-se para gastar mais que os 29,90 reais (ou 39,90 reais) por pessoa

Os valores valem apenas para entrada, prato principal e sobremesa. O que muita gente esquece é que outros custos podem surgir antes mesmo de a pessoa entrar no restaurante. O estacionamento e manobrista costumam ser pagos à parte. À mesa, saiba que as bebidas serão cobradas, assim como o couvert e os 10% de serviço. Se estiver com o dinheiro contado, diga que não quer o couvert.

7 – Não fique com dúvidas

Ninguém quer levar chuchu por caviar. Na hora de pedir, não tenha vergonha de perguntar se não conhecer a receita ou algum dos ingredientes

8 – Fiscalize o prato

Se o que chegar à mesa não for exatamente o que está descrito no cardápio, questione. Por exemplo: o menu diz que a salada leva rúcula, mas veio com agrião? Não deixe barato e exija a receita que lhe foi vendida

9 – Confira a conta

Não é que os restaurantes tentarão enganá-lo, mas não é nenhuma desfeita conferir detalhadamente o que consta na nota. Às vezes, na correria, pode haver algum erro e ser cobrado algo a mais (ou a menos)

10 – Estude o restaurante

Caso a comida esteja boa, o local seja agradável e o atendimento cordial, tente dar uma espiada no cardápio da casa fora do Restaurant Week para saber se as receitas oferecidas e o preços são atrativos para voltar mais vezes após o dia 3 de abril

Fonte: VEJA SÃO PAULO