Anote

Guia da ressaca para quem abusou dos drinques

Dois especialistas respondem o que é mito e o que é verdade a respeito do mal-estar pós-bebedeira

Por: Bruna Gomes - Atualizado em

Bebida - ressaca
Misturar bebida fermentada e destilada: não causa uma ressaca mais forte (Foto: Divulgação)

Velha conhecida dos baladeiros, a ressaca pode ser definida como um quadro heterogêneo que surge após ingestão de álcool em grande quantidade.

O mal-estar típico dos dias seguintes a uma bebedeira parece validar a máxima de que coisa ruim vem sempre em conjunto. Neste caso, dor de cabeça, irritação do aparelho digestivo, náuseas, vômitos... Bem, quem já passou por uma sabe como é.

Para explicar aos leitores de VEJASAOPAULO.COM o que é mito e o que é verdade quando o assunto é ressaca, consultamos a médica-psiquiatra Camila Magalhães Silveira,  coordenadora do Centro de Informações sobre Saúde e Álcool (Cisa), e o clínico geral Jacob Faintuch, do Hospital das Clínicas.

Veja abaixo dez afirmações que costumam causar confusão:

1. Vodca nacional causa mais ressaca que a importada.

Mito. O problema não é a procedência, mas o fato de alguns estabelecimentos servirem bebida falsificada. Essas, sim, podem conter metanol e produtos tóxicos como chumbo, arsênio e outros metais pesados.

2. Devo comer refeições gordurosas antes de sair de casa.

Verdade. Esse tipo de comida retarda a absorção do álcool. Assim, o fígado tem tempo de metabolizá-lo. Quando o estômago está vazio, o efeito do etanol no corpo é mais rápido.

3. Ressaca de bebida fermentada é diferente da de destilada.

Mito. Os principais fatores que determinam a intensidade da ressaca são a quantidade de etanol ingerida, o nível de hidratação da pessoa e a ingestão (ou não) de alimentos.

4. Tomar Coca-Cola ou café puro na manhã seguinte cura a ressaca.

Mito. O que ajuda é hidratar-se e comer adequadamente ao longo do dia. É preciso ter cuidado com café e refrigerantes porque, se a pessoa tiver algum tipo de gastrite ou irritação no estômago, esses alimentos pode piorar o quadro.

5. Tomar comprimidos efervescentes evita o mal-estar pós-noitada.

Em termos. Não cura a ressaca, mas pode aliviar sintomas como dor de cabeça e vômito.

6. Vale a pena alternar água e drinques.

Verdade. A água preenche o estômago, diminuindo a capacidade de ingestão de álcool. Ao mesmo tempo, o corpo está sendo hidratado.

7. Dormir com os pés para fora da cama, firmes no chão, diminui a sensação de tontura.

Mito. O que acontece é que a pessoa deita e o efeito do álcool vai passando aos poucos. Uma dose de álcool leva em média uma hora para ser metabolizada.

8. Chá de boldo é tiro e queda contra ressaca.

Verdade. Hidrata e tem substâncias que acalmam a parede do estômago.

9. Analgésicos e remédios para dor de cabeça resolvem o problema.

Mito. Apesar de aliviar a dor de cabeça, agridem o fígado.

10. Água com açúcar aplaca o mal-estar.

Depende. Para indivíduos que estão vomitando, a resposta é não. Neste caso, a melhor solução é soro glicosado injetado na veia. Se a pessoa não estiver com esse sintoma, o açúcar pode trazer benefícios, já que ingestão de álcool pode levar a um quadro de hipoglicemia (falta de açúcar no sangue).

Fonte: VEJA SÃO PAULO