Educação

Em mensagem, reitor diz que problemas da USP Leste são prioridade

Marco Antonio Zago alfineta gestão anterior e afirma que Universidade não deu a devida atenção às advertências

Por: Redação VEJASÃOPAULO.COM - Atualizado em

protesto usp leste
Protesto de estudantes no Butantã (Foto: Lucas Lima)

O reitor da USP Marco Antonio Zago enviou na última terça-feira (1º), uma mensagem aos alunos, professores e funcionários da universidade em que lamenta os atrasos no ano letivo do câmpus na Zona Leste. Desde janeiro, a Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) está interditada por apresentar problemas ambientais sérios.

No comunicado, Zago disse que nos últimos dois meses, desde que assumiu, tem tentado atender as exigências técnicas e legais da Promotoria de Meio Ambiente. Ele ainda critica seu sucessor, o professor João Grandino Rodas. "Estou certo de que a Universidade não deu a devida atenção às várias advertências encaminhadas pela Cetesb e deixou de tomar as providências que poderiam ter evitado essa situação que hoje enfrentamos. Com essa afirmação, deixo claro que, nessa nova gestão, a solução dos problemas do câmpus USP Leste tem prioridade sobre qualquer outro."

As aulas da USP Leste começaram na segunda-feira (31) depois de uma série de adiamentos. Os alunos foram realocados em quatro lugares diferentes, que vão desde universidades particulares na Zona Leste a unidades nos campi Butantã e Doutor Arnaldo. Na primeira semana de aula, porém, os alunos enfrentam uma série de dificuldades, como o deslocamento, a falta de laboratórios e de restaurantes universitários. Um blog chamado EACH e seus problemas foi criado para que a comunidade possa enviar suas reclamações.   

Confira abaixo a mensagem enviada pelo reitor.

Prezados alunos, professores e servidores-técnico administrativos,

Lamento profundamente que o ano letivo de 2014 dos alunos da USP Leste esteja começando somente agora e, principalmente, fora do campus da USP.  Sei das dificuldades e transtornos pelo quais a comunidade está passando e, junto com minha equipe, tenho me dedicado para minimizá-los no curto prazo, ao mesmo tempo em que busco resolver definitivamente o problema do passivo ambiental que encontrei ao assumir a Reitoria.

Desde que fui empossado como reitor, há dois meses, venho trabalhando para atender às exigências técnicas e legais e, dessa maneira, garantir o retorno com segurança ao campus, único local onde é possível desenvolver, na plenitude, as atividades de ensino, pesquisa, cultura e extensão da EACH e do novo curso da Escola Politécnica.

Estou certo de que a Universidade não deu a devida atenção às várias advertências encaminhadas pela Cetesb e deixou de tomar as providências que poderiam ter evitado essa situação que hoje enfrentamos. Com essa afirmação, deixo claro que, nessa nova gestão, a solução dos problemas do campus USP Leste tem prioridade sobre qualquer outro.

Tenham a certeza de que seguiremos trabalhando para garantir o retorno de todos, o mais breve possível, ao nosso campus que, estamos certos, transformaremos em um exemplo de ocupação responsável de um território urbano com problemas ambientais.

Cordialmente,

Marco Antonio Zago, reitor da USP

Fonte: VEJA SÃO PAULO