Cidade

Loja aumenta em 900% o número de clientes após elogio no Facebook

Negócio especializado em conserto de celulares na Santa Ifigênia resolveu gratuitamente um problema que outro endereço do mesmo segmento estimou em 180 reais

Por: Larissa Faria - Atualizado em

rei do iPhone
Loja recebia cerca de quinze clientes por dia; após o burburinho, o número subiu para 150. A foto mostra o movimento na tarde desta quinta (28) (Foto: Larissa Faria)

Uma prova de honestidade alavancou em 900% as vendas da loja instalada no número 92 da Rua Santa Ifigênia, no centro. Na sexta (22), o quiosque conhecido como Rei do iPhone ganhou notoriedade nas redes sociais após um cliente fazer uma publicação no Facebook sobre o estabelecimento. 

O consultor Caio Rossoni andava pela região - conhecida pela vasta opção de produtos e consertos no setor de eletrônicos -, em busca de uma solução para um problema em seu aparelho, um iPhone. De acordo com o rapaz, na primeira loja em que entrou, um funcionário estipulou o serviço em 180 reais, alegando a necessidade da troca de uma peça.

+ Drinks recebem até 50% de desconto em festival

Ao bater na porta do Rei do iPhone, teve o defeito resolvido rapidamente e, o melhor, de graça. O profissional Wissam Mohamad verificou que o aparelho não segurava o plug de carregamento apenas por estar sujo. Limpou o artigo e devolveu-o para o dono sem cobrar nada pela ajuda. Como forma de agradecimento, pediu apenas que o cliente divulgasse o espaço para os amigos. 

Rei do iPhone
Publicação de agradecimento tem mais de 71 000 compartilhamentos (Foto: Reprodução/Facebook)

E foi o que aconteceu: nesta quinta (28), uma publicação de Rossoni no Facebook contando a história contabilizava mais de 70 000 compartilhamentos e 317 000 curtidas. A própria empresa se pronunciou em sua página na rede social, que ganhou 35 000 novas curtidas em uma semana, agradecendo as mensagens recebidas. Precisou, inclusive, reparar a linha telefônica do estabelecimento, por causa das muitas ligações recebidas. 

rei do iPhone
O funcionário Wissam Mohamad consertou o celular de Rossoni em minutos e não cobrou um centavo sequer pelo serviço (Foto: Larissa Faria)

Cerca de 600 novos clientes visitaram o endereço desde segunda (25). Antes do elogio de Rossoni, eram aproximadamente quinze interessados por dia. O número subiu para 150. Agora, os três vendedores dali precisam até distribuir senhas.

Nesta quinta (28), por volta das 15h, todas as senhas estavam esgotadas. Grande parte dos atendimentos consiste em troca de baterias e vidros de display (serviço que custa de 150 a 600 reais, dependendo da versão do aparelho).

rei do iphone
O estabelecimento agradeceu as inúmeras mensagens e ligações que recebeu de clientes (Foto: Reprodução/Facebook)

Também focado em vendas de acessórios, como carregadores e fones de ouvido, o quiosque pretende expandir tanto o número de profissionais quanto seu tamanho. "Ficamos muito satisfeitos e felizes pelo reconhecimento. É importante que as pessoas deixem de lado a noção de que nas lojas da Santa Ifigênia só têm gente desonesta", afirma Mohamad. 

+ Onde comer pagando barato na Vila Madalena e em Pinheiros

Segundo ele, todos os técnicos que trabalham no endereço, que funciona desde 2013 ali (seg. a sex., 9h às 18h; sáb., 9h às 15h; aceita cartões e parecelamento de até quatro vezes) são especializados em celulares. A assistência técnica, porém, apesar no nome, não é autorizada pela Apple.

Fonte: VEJA SÃO PAULO