Comportamento

Regras de etiqueta no amigo secreto

Confira as dicas de uma consultora de imagem coorporativa para não transformar amigos em inimigos nas festas de final de ano do trabalho

Por: Carolina Romanini - Atualizado em

As festas de fim de ano se aproximam e, com elas, uma série de gafes costumeiras das confraternizações e amigos-secreto - principalmente entre os colegas do trabalho.

Não raro, funcionários se aproveitam da ocasião para mandar aquela indireta ao chefe ou extravasar todo o estresse do período na bebida. Confira abaixo algumas dicas da consultora de imagem coorporativa Renata Mello para manter a postura e não criar inimizades nesses eventos.

+ Cinco maneiras de organizar um amigo-secreto diferente

No amigo-secreto

- Comprar um  presente errado  como, por exemplo, uma roupa de tamanho muito  maior  ou muito  menor  do que a pessoa, é uma forma de  expor o presenteado.  Se você tem dúvidas, para não ficar na saia-justa, procure dar presentes como um objeto para decoração ou um livro, para citar alguns

- Qualquer brincadeira  maldosa  na hora de revelar o presenteado, como fazer muita  “rasgação de seda”  ou expor detalhes sobre sua  vida pessoal, pode ser mal visto pelos colegas. Saiba reconhecer seus  limites  (vale até estudar o texto antes)

- Presentes íntimos como biquínis e lingeries sugerem brincadeiras desagradáveis como a típica “Prova! Prova! Prova!”. Fique longe de lembranças deste tipo.

- Estipule o valor do amigo-secreto pensando que ele deve atender desde a diretoria às pessoas da faxina e recepção. Lembre-se de que a confraternização está acima de tudo e o real intuito do amigo-secreto no trabalho é aproximar as pessoas, não voltar para casa cheio de presentes caros

- Lembre-se de comprar a sua lembrança em uma loja conhecida, que seja de fácil acesso para troca. É muito indelicado dar um presente que a pessoa não pode trocar depois.

- Comprar um presente mais caro ou com duplo sentido para o chefe é um dos piores micos que se pode cometer nessas ocasiões. Seja discreto e dê preferência a um presente que ele possa usar em seu dia a dia no escritório, como uma agenda do ano seguinte bem bonita, ou que tenha a ver com um hobby, como futebol, golfe ou mesmo colecionáveis

- Amigo-secreto do trabalho não é ambiente para brincadeiras como “inimigo-secreto” ou “amigo-da-onça”. Nem sugira coisas do tipo.

+ Da roupa ao comportamento, Glória Kalil dá dicas para fazer bonito nas festas da empresa

Na festa de confraternização

- Use sempre o bom-senso: por mais que o ambiente seja descontraído, você continua entre pessoas do trabalho, portanto, beba e brinque com moderação.

- Para não pegar mal na hora de pagar a conta e aquela pessoa que bebeu mais resolve pagar menos e ir embora antes, escolha um local que trabalhe com sistema de comanda individual.

- Como o acesso ao “chefe” nessas festas é facilitado, preocupe-se em causar uma boa impressão. As festas são usadas pelos gestores como um termômetro para conhecer o comportamento do funcionário fora do ambiente do trabalho. Mostre seu lado educado, brincalhão, mas sempre reconhecendo os seus limites.

- Se causar demais é um problema, não participar das confraternizações de final de ano é outro de igual tamanho. Vá e dê o seu melhor.

- Cuidado com as fotos e vídeos que serão expostos nas redes sociais no dia seguinte. Ela pode revelar detalhes da festa que ninguém viu ou mesmo provocar uma namorada ciumenta. Peça sempre autorização para as pessoas envolvidas antes de publicá-las na internet.

- Comer demais também pega mal, principalmente se os funcionários irão dividir a conta ao final da festa. Procure perguntar aos colegas o que pretendem pedir e rachar a comanda de acordo.

Fonte: VEJA SÃO PAULO