Televisão

RedeTV!: sem motivo para pânico

Sócio majoritário, Amilcare Dallevo Jr. diz que, apesar da saída do seu principal programa, a emissora paulistana nunca faturou tanto

Por: João Batista Jr. [com reportagem de Daniel Bergamasco] - Atualizado em

Rede TV! - Amilcare Dallevo Jr. 2259
Dallevo Jr: “Trabalho desde os 12 anos de idade e, se eu quisesse, faria uma casa do tamanho do Estádio do Morumbi” (Foto: Fabiano Accorsi)

“Ninguém chuta cachorro morto”, dizia na tarde da última terça (28) o empresário paulistano Amilcare Dallevo Jr., sentado no sofá de couro branco da sala da presidência da RedeTV!. Tranquilo e desajeitado em um terno escuro, ele soltou a frase para comentar a crise que a emissora estaria enfrentando, com notícias de perda de suas principais atrações e atraso nos pagamentos de parte dos funcionários. Dallevo acha que a onda formada em torno disso é um efeito colateral de sua meteórica ascensão profissional.

No início da década de 90, ele era proprietário de uma pequena empresa de informática. Tempos depois, começou a fazer dinheiro com muito mais velocidade ao entrar na área de sorteios e promoções interativas pela TV. Em 1999, num lance considerado ousado, transformou-se em investidor do ramo das comunicações, arrematando a concessão do problemático canal 9, a TV Manchete, por um valor estimado pelo mercado, na época, em 40 milhões de reais. Rebatizada de RedeTV!, ela saiu rapidamente do vermelho e comemorou o feito adotando como seu slogan a frase “A rede de TV que mais cresce no Brasil”.

+ 52 estrelas (ascendentes ou cadentes) que marcaram 2011

+ Estrela da Band, Datena é um dos mais bem remunerados da televisão

Hoje, aos 54 anos, Dallevo continua entusiasmado com o negócio. É o acionista majoritário, com 70% do capital (o restante está nas mãos do sócio, Marcelo de Carvalho). Outro grande motivo de orgulho em seu patrimônio é a impressionante mansão de 17.800 metros quadrados, apontada como a maior do Brasil, que se encontra na reta final de construção e terá luxos como um quintal inspirado no Jardim de Luxemburgo, em Paris, um salão de festas com piso de mármore italiano e uma suíte master de 1.200 metros quadrados, com piscina e heliponto exclusivos.

Rede TV! - casa de Amilcare Dallevo Jr. 2259
Uma obra monumental: imóvel de Dallevo tem 17 800 metros quadrados de área construída (Foto: Veja São Paulo)

As últimas semanas têm sido especialmente agitadas na vida de Dallevo. Ao mesmo tempo em que cuida da fase de acabamento da obra, prevista para ser concluída até o fim deste ano, ele tem dedicado um bom tempo a resolver algumas dificuldades que atingem a RedeTV!. Nos últimos meses, a emissora perdeu atrações importantes. Em maio do ano passado, o reality show policial "Operação de Risco", que era um dos líderes de audiência (8 pontos), migrou para a Record por causa da demora no pagamento à produtora Medialand. Mais tarde, a Globo tirou da casa as lutas do UFC e a Band ficou com os jogos da série B do Brasileirão, que traziam receita anual de 30 milhões de reais.

+ Ricardo Macchi em guerra contra o "Pânico"

+ Laura Cardoso: "Ela ia arrotar na minha cara?"

+ Juju e Nicole: o barraco mais tosco do ano (ou da década)

Há duas semanas, foi a vez de seu principal programa, o “Pânico”, dizer adeus. O humorístico partiu para a Band, na qual deve estrear dentro de um mês. Um dos motivos alegados para a mudança foi o atraso no pagamento dos salários do elenco. Esse tipo de problema estaria atingindo também uma parcela dos demais empregados da RedeTV!. Em dezembro, a jornalista Rita Lisauskas, a principal âncora da casa, foi demitida após escrever o seguinte no Facebook: “Tem empresário que deita a cabeça no travesseiro e consegue dormir sabendo que há funcionários com salários atrasados no mínimo dois meses bem na semana do Natal”. Na quinta-feira (1°), Dallevo afirmou que todos os pagamentos haviam sido postos em dia.

Rede TV! - Pânico na TV - 2259
A trupe de comediantes comandada por Emílio Surita (no centro): queixas por atraso no pagamento dos salários do elenco (Foto: Divulgação)

Para acalmar o mercado, Dallevo e Marcelo de Carvalho, municiados de um iPad cheio de dados sobre a emissora, passaram parte dos últimos dias percorrendo bancos para explicar que a empresa não está em crise. Uma das maiores preocupações dos dois foi acabar com boatos que davam conta de que o “Pânico” representaria 40% da receita do canal. Segundo eles, essa fatia era de 12% e “quase zero de lucro”. Primeiro, pelo elevado custo de produção. Depois, porque Antonio Augusto Amaral de Carvalho Filho, o Tutinha, dono da Rádio Jovem Pan, e Emílio Surita, líder da trupe, ficariam com 50% do total do faturamento. “Era um contrato leonino”, define Marcelo de Carvalho.

A atração, que em 2011 chegou a alcançar picos de 15 pontos no Ibope, estava com a audiência mais morna, na casa dos 6 pontos, ainda assim bem superior à média geral da programação, que no ano passado não chegou a 1,5 ponto. Para repor a perda, a RedeTV! vai investir num novo programa comandado pelo comediante Rafinha Bastos.

+ Rafinha Bastos, do céu ao inferno

+ Rafinha Bastos, o novo rei da baixaria

De acordo com Dallevo, as dificuldades são passageiras e não abalam o bom momento da empresa. “Nunca captamos tanto dinheiro”, afirma. Segundo fontes próximas ao negócio, o faturamento anual da emissora quase triplicou entre 2005 e 2010, chegando à casa de 350 milhões de reais. No ano passado, porém, depois de anos seguidos de crescimento, a receita ficou estagnada nesse patamar.

Essa freada, somada ao peso de alguns compromissos assumidos pelo grupo, como a construção da nova sede no município de Osasco, na Grande São Paulo, inaugurada em 2009, gerou um problema de fluxo de caixa. “Temos hoje uma dívida de 100 milhões de reais com vencimento em curto prazo”, diz Carvalho. “Além disso, no fim do ano passado, os bancos deram uma enxugada nos créditos”, afirma Dallevo. Segundo ele, os atrasos atingiram os salários de uma parcela dos empregados que trabalham com contratos de pessoa jurídica. Eles representariam 15% do total de 1.500 funcionários. “Mesmo assim, a demora nunca chega a um mês”, declara. “Tivemos um descompasso, mas isso não se repetirá novamente.”

Rede TV! - Rafinha Bastos - 2559
Rafinha Bastos na Rede TV!: versão apresentada e produzida por ele do humorístico americano 'Saturday Night Live' (Foto: Omar Paixão)

Os dois sócios têm perfis muito diferentes. Expansivo e comunicativo, Marcelo de Carvalho fez carreira na área comercial da Rede Globo, onde estreitou laços com o atual parceiro, que tinha contratos com a emissora para explorar as ligações pagas para o programa “Você Decide”. Engenheiro elétrico formado pela Universidade de São Paulo, Dallevo é apaixonado por tecnologia e sempre cultivou a discrição. Segundo as pessoas mais próximas ao dia a dia da Rede TV!, as diferenças de estilo se refletem na gestão da emissora. São relativamente comuns hoje desavenças causadas pelo fato de um cancelar ordens do outro. Na Páscoa de 2010, por exemplo, irritado com um acordo de permuta feito por Carvalho segundo o qual uma publicidade na emissora seria trocada por centenas de ovos de chocolate que seriam dados a parceiros da empresa, Dallevo distribuiu broncas sonoras a empregados que puseram a ideia em prática, inclusive aos porteiros que abriram os portões para o caminhão carregado de guloseimas.

+ Adriane Galisteu e Luciana Gimenez, as novas amigas de infância

Com o clima cada vez mais azedo ultrapassando os escritórios, o sócio majoritário tentou se tornar o único dono do negócio. Assinou um contrato de intenção de compra da parte de Carvalho, estimada em 500 milhões de reais, mas não conseguiu levantar recursos para fechar o negócio após seis meses de tentativas. Nesse período, conforme combinado entre as partes, o sócio minoritário ficou afastado. A rivalidade entre os dois se repete no relacionamento entre as duas “primeiras-damas” da emissora. As apresentadoras Daniela Albuquerque e Luciana Gimenez, mulheres, respectivamente, de Dallevo e Carvalho, competem para ver quem é a maior estrela da casa, levando a disputa até para o tamanho dos camarins de cada uma.

As duas não se bicam e não fazem questão de esconder a rusga. No domingo passado (26), durante a cerimônia de entrega do Oscar, enquanto Daniela suplicava aos seguidores no Twitter que deixassem de acompanhar a premiação para conferir a estreia de um novo show comandado por ela, Luciana dizia a seus fãs no microblog: “Todo mundo vendo o Oscar”.

Rede TV! - Luciana Gimenez e Daniela Albuquerque - 2259
Luciana Gimenez com o marido, Marcelo de Carvalho, dono de 30% da rede, e Daniela Albuquerque, mulher de Dallevo: rixa entre os sócios e entre as apresentadoras (Foto: Marcos Rosa/Picasa)

Dallevo conheceu Daniela num almoço entre amigos em comum em 2004. Apesar da diferença de idade (ela é 25 anos mais jovem), começaram a namorar e casaram-se em 2006. No ano seguinte ela estreava como repórter do “Bom Dia Mulher”, extinto programa de Olga Bongiovanni na RedeTV!. A nova residência que o casal está construindo tem um projeto arquitetônico clássico, que não leva a assinatura de nenhum profissional da área. “Eu mesmo pensei o desenho de cada canto ali”, orgulha-se o empresário.

No auge da obra, 300 homens trabalhavam na construção. Quando ficar pronto, o complexo, onde também residirá Alice, a primeira filha do casal, esperada para abril, terá garagem subterrânea com capacidade para cinquenta carros. Dallevo fica irritado quando ouve críticas ao exagero da monumental mansão. “Trabalho desde os 12 anos de idade pelo menos doze horas por dia”, diz. “Se eu quisesse fazer uma casa do tamanho do Estádio do Morumbi, faria. E a construção não é isso tudo que falam. Apenas quinze dias do faturamento da Rede TV! pagariam a obra.”

UMA OBRA MONUMENTAL

Os números do imóvel que Dallevo está construindo para viver com a mulher, a apresentadora Daniela Albuquerque

17.800 metros quadrados de área construída (maior que a mansão de 11.000 metros quadrados do banqueiro Joseph Safra)

1.200 metros quadrados só para a suíte master, dotada de piscina e heliponto exclusivos

90 metros quadrados para cada um dos dois escritórios privativos — o dele e o dela

50 vagas de estacionamento subterrâneo

8 metros de comprimento para o aquário

4 helicópteros cabem no hangar

OS TROPEÇOS DA EMISSORA...

Perda de atrações: a Globo abocanhou os direitos de transmissão do UFC e a Band ficou com o "Pânico", a maior audiência da casa, e a série B do Brasileirão (com faturamento anual estimado em cerca de 30 milhões de reais). Além disso, o reality show policial "Operação de Risco" migrou para a Record, rebatizado de “Câmera em Ação”

Atraso de pagamentos: funcionários que trabalham como pessoas jurídicas reclamam de até três meses de atraso nos salários. A RedeTV! afirma que na quinta (1º) todos foram colocados em dia

Atrito entre os sócios: nos bastidores, Amilcare Dallevo Jr. critica Marcelo de Carvalho por querer arrendar horários para programas evangélicos — e Carvalho acusa Dallevo de não saber trazer bons negócios para a emissora.

 ...E AS ESTRATÉGIAS PARA RECUPERAR O FÔLEGO

Road show: os sócios se municiaram de um iPad cheio de dados para fazer uma peregrinação por bancos. O objetivo é acalmar credores e explicar que a saída do "Pânico" não é o fim do mundo para as finanças do grupo (segundo os sócios, a atração representava 12% do faturamento bruto da rede)

Renovação do elenco: a emissora comprou os direitos do humorístico americano “Saturday Night Live" para fazer uma versão, apresentada e produzida por Rafinha Bastos.

Fonte: VEJA SÃO PAULO