Receitas - prato principal

Receita de harira do Tanger

A chef Ariela Doctors dá a receita da harira. É uma sopa substanciosa, de origem marroquina, que leva mais de sete ingredientes diferentes

Por: Marcela Besson - Atualizado em

Ingredientes

1 copo de grão-de-bico

1 copo de lentilha

1/2 xícara de chá de arroz

1 cebola pequena cortada em cubinhos

2 cenouras pequenas cortadas em cubinhos

2 talos de salsão cortados em cubinhos

2 tomates maduros sem semente e sem pele cortados em cubinhos

1 osso com tutano (como canela de boi) - opcional

sal e pimenta-do-reino a gosto

4 colheres (sopa) de óleo

1 colher (sopa) de farinha de trigo diluída em água

Coentro fresco picado a gosto

3 limões

Modo de preparo

Na véspera, coloque o grão-de-bico de molho. No dia do preparo, caso ele ainda não tenha amolecido, cozinhe por alguns minutos, até que fique al dente. A lentilha deve ser colocada na água duas horas antes do preparo.

Em uma panela grande, coloque o óleo e leve os legumes para suar, ou seja, até que eles fiquem macios, sem precisar dourar. Comece com a cebola, em seguida coloque a cenoura, o salsão e, por último, o tomate.

Em seguida, acrescente o grão-de-bico, previamente cozido, e a lentilha. Tempere com sal e pimenta-do-reino a gosto e cubra os ingredientes com água. Adicione o osso com tutano. Tampe a panela e deixe ferver por cerca de 30 minutos.

Depois, coloque o arroz já lavado e deixe cozinhar por mais 10 minutos, ou até o arroz amolecer. Retire o osso. Antes de desligar, acrescente a farinha de trigo diluída em água para espessar a sopa. Aguarde alguns minutos, mexendo bem e desligue o fogo.

Para servir, coloque a sopa em uma cumbuca e salpique coentro por cima. Leve à mesa acompanhada de limão. A fruta é espremida na hora de consumir – sua acidez realça o sabor dos legumes.

Dificuldade: média

Rendimento: 6 porções

Tempo: 40 minutos (+ cozimento do grão-de-bico)

Sobre o Tanger

Atrás de um pequeno portão, numa ladeira na Vila Madalena, a casa tem decoração inspirada no Marrocos: lenços, almofadas, luminárias de ferro e narguilés coloridos compõem o cenário. Responsável pelo cardápio, a marroquina Paulette D’Israel tem a ajuda da filha Dinah Doctors e da neta Ariela Doctors que prepara-se para largar definitivamente a parte administrativa e assumir os fogões.

No menu, dominam os pratos preparados com a sêmola de trigo de grãozinhos amarelos, como o cuscuz de merguez. É a lingüicinha de cordeiro acompanhada de legumes e cebola frita. Para finalizar a refeição, chá de hortelã que vem como cortesia da casa.

Sobre o Marrocos

Localizado no continente africano, quase na divisa com a Europa, o Marrocos é um país com cerca de 700 000 quilômetros quadrados – duas vezes maior do que o estado do Maranhão. O idioma oficial é o árabe, mas boa parte da população fala dialetos berberes, francês ou espanhol. Os pratos mais típicos da culinária são o cuscuz, feito com sêmola de trigo, e o tajine, servido num grande pote de barro e preparado com carnes – como carne de cordeiro – e legumes.

Fonte: VEJA SÃO PAULO