Receitas - prato principal

Receita de batata rosti do Florina

Cristina Häfeli, uma das proprietárias do restaurante Florina, ensina uma receita básica de batata rosti. É um dos pratos mais tradicionais da culinária suíça

Por: Marcela Besson e Uiara Araújo - Atualizado em

Ingredientes

- 800g de batatas (tamanho médio)

- 2 colheres (sopa) de manteiga

- 2 colheres (sopa) de óleo de milho ou girassol

- Sal a gosto

- Pimenta-do-reino a gosto

- Tempero em pó à base de legumes (tipo Fondor) a gosto

Modo de preparo

Cozinhe as batatas com casca e sal. Elas não devem amolecer muito, caso contrário, na hora de ralar, irão se desfazer. Depois de cozidas, deixe descansar por um dia fora da geladeira. Retire a casca e rale em lascas grossas, tomando cuidado para não amassá-las.

Em uma frigideira antiaderente, junte a manteiga e o óleo. Deixe esquentar bem, acrescente a batata ralada, salpique com sal, pimenta e tempero de legumes a gosto. Misture bem e deixe formar uma crosta.

Com uma espátula, mexa delicadamente algumas vezes, para que a batata fique dourada uniformemente.

No final, deixe formar uma crosta. Desligue o fogo, cubra a frigideira com um prato e vire.

Dificuldade: fácil

Rendimento: 4 porções

Tempo: 15 minutos (mais o cozimento da batata)

Sobre o Florina

Aberta em 1995, a casa da suíça Rosalie Häfeli reúne receitas inspiradas na culinária suíço-germânica em um ambiente que lembra o charme das montanhas com fogão à lenha e objetos decorativos tradicionais. Auxiliada pela filhas Cristina e Monica, a matriarca oferece um cardápio que vai de salsichões – preparados pelo frigorífico Berna, que pertence à família – aos fondues e racletes.

Sobre a batata rosti

O nome original desta receita é batata rösti – lê-se râsti – que em suíço-alemão significa crocante e dourado. Antigamente, era um prato consumido nas fazendas, no café-da-manhã, e com leite. Hoje, é difundido por toda a Suíça e é uma refeição presente nas casas, principalmente como acompanhamento de carnes e embutidos ou então como um prato leve para o jantar – quando enriquecido com outros ingredientes como queijo e bacon - ao lado de uma salada. Existem diferentes maneiras de prepará-lo, com batata crua ou cozida, dependendo de cada região do país. Além disso, a tradição manda servi-lo em um prato especial de cerâmica.

Sobre a culinária suíça

Dividida em 26 cantões, a Suíça é um país multicultural com influências evidentes de seus países vizinhos: França, Itália e Alemanha. Essa diversidade é claramente percebida no idioma – 63% alemão, 20% francês, 7% italiano e 1% romanche – e, consequentemente, na gastronomia.

Salsichas, lingüiças e chucrute, por exemplo, marcam a influência alemã. Do lado francês, pode-se destacar as receitas com queijo, preparadas pelos países da região dos Alpes como fondue, raclete e papet vaudois (salsicha com repolho e batata servida na região do Lago Genebra). Polentas e risotos descendem dos vizinhos italianos.

Curiosamente, apesar do cacau vir de países tropicais, a Suíça ainda é conhecida como a produtora de um dos melhores chocolates do mundo e são de lá grandes marcas como a Nestlé e a Lindt.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO