Crise

Pela primeira vez, Alckmin admite racionamento de água em São Paulo

Mudança de discurso acontece no mesmo dia da divulgação de um relatório da Sabesp indicando que um rodízio pode acontecer ainda em 2014

Por: Redação VEJASAOPAULO.COM - Atualizado em

Sistema Cantareira (uma das represas)
Uma das represas do Sistema Cantareira: abaixo da capacidade (Foto: Divulgação)

Pela primeira vez desde o começo da crise de abastecimento em São Paulo, o governador Geraldo Alckmin admitiu que "não descarta" um racionamento de água. A mudança de discurso acontece no mesmo dia da divulgação de um relatório da Sabesp indicando que um rodízio na região metropolitana de São Paulo pode acontecer ainda em 2014. 

+ Mauro Arce é o novo secretário de Recursos Hídricos

+ Seca e falha de gestão causam crise da água em São Paulo

"Nós não descartamos o rodízio. Mas acabamos de lançar uma campanha para as 31 cidades da região metropolitana que foi um sucesso", disse. "Então, nós vamos avaliar diariamente essa questão e, especialmente, a aplicação do bônus para toda a região metropolitana. Neste momento, não há necessidade".

O nível do reservatório do Sistema Cantareira - que abastece mais da metade da região metropolitana - chegou a 12,5% nesta quarta-feira (9) e não há previsão de chuvas substanciais para os próximos dias. 

Fonte: VEJA SÃO PAULO