Cidade

Queda de árvores na segunda (16) foi maior que o total de maio de 2015

Corpo de Bombeiros registra 148 ocorrências na capital na tarde de ontem, 2,5 vezes mais que os 31 dias do mês no ano passado

Por: Veja São Paulo

Queda de árvore na Avenida Dr Arnaldo
Queda de árvore na Avenida Dr Arnaldo (Foto: Ana Luiza Cardoso)

São Paulo registrou mais árvores tombadas após a tempestade desta segunda (17) do que no total do mês de maio de 2015. O mais recente relatório do Corpo de Bombeiros registra 148 ocorrências na capital na tarde de ontem, número 2,5 vezes maior que os 31 dias do mês no ano passado.

+ Tempestade derruba árvores e causa uma morte

O número de quedas de árvores na cidade é cada vez mais significativo. Só no ano passado, foram 3231 casos, o equivalente a um aumento de 41,6% em comparação com 2014. Nos bairros da Subprefeitura de Pinheiros ocorreram 353 registros, o maior índice da capital. Aparecem na sequência Butantã (293), Ipiranga (251), Santo Amaro (237) e Capela do Socorro (191). Os dados foram obtidos por VEJA SÃO PAULO via Lei de Acesso à Informação.

Queda de árvores em 2015
Pinheiros 393
Butantã 253
Ipiranga 251
Santo Amaro 237
Capela do Socorro 191
Fonte: Prefeitura de São Paulo

Ao todo, a combinação de ventos fortes (entre 37Km/h e 60km/h) e chuva de granizo da segunda (17) derrubou 177 troncos na região metropolitana. De acordo com comunicado da Prefeitura de São Paulo, o temporal começou por volta de 16h15, no extremo da Zona Sul, e durou pouco mais de uma hora. Apesar do curto período de tempo, estima-se que tenha chovido 25,6% da média esperada para o mês de maio, que é 52,4 milimitros.

+ Fique de olho nas últimas notícias de SP

A tempestade provocou uma morte e deixou pelo menos seis pessoas feridas no Largo da Concórdia, no Brás. Uma árvore caiu sobre barracas de lanches por volta de 17h30. Uma mulher de 22 anos, que trabalhava no local, morreu na hora e uma criança de 2 anos foi socorrida e encaminhada em estado gravíssimo à Santa Casa de Misericórdia.

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Ao menos dez pessoas ficaram feridas em outros pontos de São Paulo. Parte da uma estrutura de ferro e acrílico desabou sobre quinze pessoas no Viaduto do Chá, região central. O acidente ocorreu na feira de artes Ateliê Aberto, que tem apoio da Secretaria Estadual da Cultura, e deixou quatro vítimas com ferimentos leves.

O temporal provocou também o desabamento de parte da marquise da Real Lanchonete e Pizzaria, localizada na Avenida Alfonso Bovero, no Sumaré (Zona Oeste), por volta das 18h. Ao menos duas pessoas ficaram feridas. Uma banca de jornal na frente do estabelecimento desabou durante o vendaval.

Fachada da Padaria Real, atingida pela chuva
Fachada da Padaria Real, atingida pela chuva (Foto: Ana Luiza Cardoso)

Perto dali, uma árvore que caiu na Avenida Doutor Arnaldo bloqueou a via nos dois sentidos. A pista no sentido Avenida Paulista foi liberada no início da tarde de terça (17).  Parte do muro do Cemitério do Araçá desabou com a chuva e algumas gavetas de ossos foram parar na calçada da Rua Monsenhor Pequeno.

+ "Ainda não sabemos o tamanho do prejuízo", diz dono da padaria

Na manhã desta terça (17), o Corpo de Bombeiros somava 42 ocorrências envolvendo árvores. De acordo com a corporação, porém, o número está dentro do padrão de atendimentos diários na cidade.

A Prefeitura informou que, desde agosto de 2015, foram contratadas treze equipes para o Plano Intensivo de Manejo Arbóreo (PIMA), responsável pela poda e remoção de árvores na cidade. Esses grupos reforçam as ações nas áreas mais críticas da capital, atendidas pelas subprefeituras da Sé, Pinheiros, Vila Mariana, Santo Amaro, Ipiranga, Butantã, Lapa e Mooca. Ainda de acordo com o texto, em 2016 foram realizadas, até o mês de abril, 31 760 podas de árvores, 5 601 remoções e 3 339 novas espécies foram plantadas.

Fonte: VEJA SÃO PAULO