Cinema

Quatro filmes em preto e branco estão em cartaz na cidade

Longas-metragens como Muito Barulho por Nada e Frances Ha dispensam o uso do colorido

Por: Miguel Barbieri Jr.

Frances Ha
'Frances Ha': Mickey Sumner e Greta Gerwig, amizade à prova (Foto: Divulgação)

✪✪✪✪ Frances Ha - Frances (papel da graciosa Greta Gerwig), de 27 anos, estuda numa companhia de balé com a esperança de ser uma profssional da dança. Ela é uma sonhadora sem grana cuja amizade por Sophie (Mickey Sumner) parece inabalável. Um dia a amiga avisa: vai sair do Brooklyn, onde elas dividem um apartamento. Frances, porém, consegue um canto na casa de dois amigos. A comédia dramática segue a protagonista por um caminho de erros escorado no humor e na melancolia, encontrados nas esquinas de uma Nova York ora solidária, ora solitária. Direção: Noah Baumbach.

✪✪✪ Muito Barulho por Nada - Diretor de Os Vingadores, Joss Whedon é um cara audacioso e volta à cena de forma mais comedida nesta versão da peça homônima de Shakespeare. O longa foi flmado em apenas doze dias na casa de Whedon, com um grupo de amigos. Corajoso, o realizador insere o texto original em um visual contemporâneo, e a mistura funciona. A comédia romântica concentra-se no vaivém afetivo entre Benedick (Alexis Denisof) e Beatrice (Amy Acker) e nos imbróglios do casamento do conde Claudio (Fran Kranz) com a jovem Hero (Jillian Morgese). Direção: Joss Whedon.

✪✪ No Lugar Errado - Depois de Estrada para Ythaca e Os Monstros, quatro diretores do Ceará se reencontram para adaptar a peça Eutro, de Rodrigo Fischer. Trata-se, na realidade, de uma encenação do texto com pretensão cinematográfca e alguns momentos cuja intensidade garante o interesse. Com pontos mortos e certa redundância, a trama tem clima erótico e desfecho polêmico. Os amigos Fred (papel do autor) e Clara (Michele Santini) recebem o casal Sandro (Márcio Minervino) e Thais (Súlan Pricivalli), que voltou de uma temporada no Canadá. Direção: Guto e Luiz Parente, Pedro Diógenes e Ricardo Pretti.

✪✪✪ Tabu - Criatividade e ousadia marcam presença na forma de apresentar o drama de Aurora. Na velhice, em Lisboa, a personagem se queixa da empregada para a vizinha. A segunda parte da trama volta ao passado para fagrar a jovem Aurora (Ana Moreira) na África. Vivendo com o marido ao pé do fctício Monte Tabu, ela se envolveu com um aventureiro (Carlotto Cotta). Com narração em off do cineasta, a fta mostra como nasceu e terminou o triângulo amoroso. Não há diálogos, mas nem isso tira da trama seu caráter hipnótico. Direção: Miguel Gomes.

Fonte: VEJA SÃO PAULO