Cinema

Quatro filmes em cartaz com mulheres atrás das câmeras

Além de Haifaa Al Mansour, da estreia O Sonho de Wadjda, outras cineastas estão nas telas da cidade

Por: Miguel Barbieri Jr. - Atualizado em

Amor é Tudo o que você precisa
Uma bela vila no sul da Itália torna-se palco de encontros e desencontros amorosos: 'Amor é Tudo o que Você Precisa' (Foto: Divulgação)

✪✪✪ Amor É Tudo o que Você Precisa - Premiada com o Oscar de melhor filme estrangeiro em 2011 pelo drama Em um Mundo Melhor, a dinamarquesa Susanne Bier muda de registro trazendo uma adorável comédia romântica. Trine Dyrholm interpreta a cabeleireira Ida, que, depois de traída pelo marido, vai até a Itália para o casamento da filha. No aeroporto de Copenhague, conhece o executivo viúvo Philip (Pierce Brosnan). Ambos rumam para Sorrento e, veja só, o estranho é o futuro sogro de sua filha.

Hoje, de Tata Amaral_Cesar Troncoso e Denise Fraga_Foto Jacob Solitrenick00
Cena de 'Hoje', com Cesar Troncoso e Denise Fraga (Foto: Jacob Solitrenick)

✪✪ Hoje - Diretora de Através da Janela (2000) e Antônia (2006), a paulistana Tata Amaral enfoca neste drama de tom teatral o pesadelo de uma ex-ativista política. Torturada durante a ditadura militar, a viúva Vera (Denise Fraga) refez a vida e, em 1998, está de mudança para um espaçoso apartamento na Avenida São Luís. Reencontra, porém, seu marido pelos cômodos. É hora, então, de exorcizar os fantasmas do passado.

2 Dias em Nova York - Julie Delpy
Julie Delpy: aos 43 anos, ela atua e dirige '2 Dias em Nova York'  (Foto: Divulgação)

2 Dias em Nova York - A francesa Julie Delpy volta à direção e, nessa comédia, também trabalha como atriz. Em Nova York, ela vive uma fotógrafa e Chris Rock, na pele de seu marido, interpreta um jornalista de rádio. Eles moram com os filhos de casamentos anteriores e têm um gato de estimação. Para complicar, a família dela chega da França para prestigiar a abertura de sua exposição.

O Futuro
O Futuro (Foto: Divulgação)

✪✪ O Futuro - Depois do elogiado Eu, Você e Todos Nós (2005), a artista performática americana Miranda July volta a dirigir e atuar no cinema. Ainda mantendo o pé na excentricidade, não acerta como antes nessa história de Sophiee Jason, um casal entediado de Los Angeles que decide adotar um gato em estado terminal. Os momentos mais agitados da comédia romântica ficam reservados à relação extraconjugal de Sophie.

Fonte: VEJA SÃO PAULO