Trânsito

Quase 4 milhões de veículos devem lotar as estradas no feriado

Operação Descida no Sistema Anchieta-Imigrantes começa às 15h desta sexta-feira

Por: Estadão Conteúdo - Atualizado em

Imigrantes - Ecovias
Pedágio na Rodovia dos Imigrantes (Foto: Divulgação/Ecovias)

O fim de semana prolongado pelo feriado de Finados, na segunda-feira (1º), será de estradas cheias, com previsão de congestionamentos. Cerca 3,7 milhões de veículos devem circular pelos principais corredores que saem da capital em direção ao litoral e interior de São Paulo.

+ As últimas notícias da capital

Só as rodovias concedidas devem receber 2,6 milhões de autos, conforme previsão da Agência de Transportes do Estado (Artesp). Mais 1,1 milhão devem trafegar pelas vias administradas pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER), principalmente os acessos às praias da Baixada Santista e do Litoral Norte.

O tráfego se torna intenso a partir da tarde desta sexta-feira, com grande volume até a madrugada de sábado. Para escapar da lentidão, o motorista deve evitar os horários de pico, que se estendem até amanhã. Nos pedágios, está previsto o papa-filas, cobrança antecipada da tarifa em caso de acúmulo nas cabines.

No Sistema Anchieta-Imigrantes, corredor de acesso ao litoral, está prevista a Operação Descida a partir das 15h, com inversão das pistas da rodovia Anchieta. Durante a operação, a subida para a capital será só pela pista norte da Imigrantes.

O esquema deve se repetir no sábado e domingo, pois a concessionária prevê aumento de tráfego no sentido das praias também nesses dias. O retorno de quem viajou deve se iniciar na noite de domingo, estando prevista a Operação Subida a partir da 19h. A inversão de pistas ocorre apenas no trecho da Serra do Mar, do km 40 ao 55 da Anchieta e do km 40 ao 47 da Imigrantes.

Em rodovias como a Bandeirantes, Castelo Branco e Tamoios, o tráfego de veículos de carga é proibido durante fim de semana e feriado em trechos definidos para melhorar o fluxo de saída e retorno dos automóveis.

A Polícia Rodoviária Estadual usará mais de mil homens, viaturas e radares para coibir abusos e evitar acidentes.

Fonte: VEJA SÃO PAULO