Mobilidade

Ciclistas protestam contra fechamento da ciclovia do Rio Pinheiros

Trecho da via será interditado por dois anos para construção do monotrilho

Por: Juliana Deodoro - Atualizado em

Ciclovia da Marginal Pinheiros
Trecho da ciclovia que margeia o Rio Pinheiros (Foto: Veja São Paulo)

Diversos ciclistas pretendem passar a madrugada de sábado (5) para domingo (6) acampados na ciclovia do Rio Pinheiros como protesto contra o fechamento da via. O metrô anunciou nesta semana que o trecho entre as estações Granja Julieta e Vila Olímpia será interditado pelos próximos dois anos para as obras da Linha 17-Ouro do monotrilho.

Segundo os cilcistas, a decisão foi tomada sem qualquer consulta à população e a medida pode inclusive desestimular o uso do percurso que continuará livre. "Fechar esse acesso sem nenhuma medida paliativa e nenhuma forma de a pessoa passar para o outro lado é um absurdo.  Somos a favor do monotrilho, do transporte público de qualidade, mas existem formas de isso ser feito", afirma Rodrigo Vicentim, ciclista e um dos organizadores do protesto.

Segundo o metrô, cerca de 600 ciclistas utilizam a ciclovia nos dias de semana (200 no trecho interditado). O número chega a 4 000 nos fins de semana (2 000 na parte que será fechada). No total, serão 4 quilômetros interditados, dos 21 da via que margeia o rio. No local, serão implantados 66 pilares de sustentação, lançadas 132 vigas por onde passarão os trens do monotrilho da Linha 17-Ouro e construída a estação Morumbi. O metrô alega que a interdição será feita para a segurança dos próprio ciclistas.

Os organizadores do protesto pretendem se encontrar às 18 horas de sábado (5) na ciclovia embaixo da Ponte Estaiada e devem permanecer até as 19 horas de domingo (6).

Fonte: VEJA SÃO PAULO