Manifestação

Protesto de professores interdita vias da cidade

Categoria promete realizar nova manifestação na próxima sexta-feira

Por: Juliene Moretti - Atualizado em

Manifestação Paulista
A manifestação dos professores começou na Avenida Paulista (Foto: Edson Castro/Divulgação)

Os professores municipais de São Paulo realizaram nesta terça-feira (20) mais uma manifestação para pedir reajuste salarial, além de melhores condições de trabalho. O ato que começou na Avenida Paulista à tarde e terminou no Viaduto do Chá no início desta noite reuniu entre 12 000 e 15 000 pessoas, segundo o sindicato da categoria. Um novo protesto está programado para acontecer na próxima sexta-feira (23), às 14 horas, em frente a prefeitura.

+ Professores da USP, Unesp e Unicamp farão paralisação

De forma pacífica, os manifestantes bloquearam a pista sentido Consolação da Avenida Paulista e seguiram para a prefeitura. A caminhada começou por volta das 16h30 e terminou às 18 horas, com a ocupação do Viaduto do Chá.

+ Policiais devem paralisar as atividades nesta quarta

Manifestação professores
Sindicato acredita que entre 12 000 a 15 000 pessoas participam do ato (Foto: Juliene Moretti)

O presidente do Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal de São Paulo (Simpeem), Claudio Fonseca, disse que os educadores exigem propostas para segurança, saúde e reciclagem profissional, além da valorização salarial. “O aumento de 15,38% significa apenas 20 a 317 reais para quem recebe abaixo do piso”. Segundo Fonseca, entre 12 000 a 15 000 pessoas participam do ato.

A categoria está de braços cruzados desde o dia 23 de abril. No dia 9 deste mês, o prefeito Fernando Haddad encaminhou para a Câmara Municipal um projeto de lei com um bônus de 15,38% no salário de professores, gestores e quadro de apoio da rede municipal. Entretanto, a categoria exige que essa porcentagem seja repassada também para os aposentados.

Fonte: VEJA SÃO PAULO