Transportes

Protesto contra aumento de tarifas interdita Estrada do M’Boi Mirim

Manifestantes atearam fogo em pneus no meio da via contra o aumento para 3,20 reais. Situação do tráfego foi normalizada por volta das 8h

Por: Redação VEJA SÃO PAULO - Atualizado em

Testamos dez linhas de ônibus
Ônibus da capital: reajuste de 6,67% na tarifa (Foto: Redação VEJA SP)

Uma manifestação contra o aumento da tarifa do transporte público paulistano — que saltou de 3 para 3,20 reais — interditou a Estrada do M’Boi Mirim nesta manhã. Moradores da região atearam fogo em pneus.

De acordo com a CET, o protesto teve início por volta das 6h, com interdição total da Avenida Guarapiranga (extensão da M’Boi Mirim), na altura da Rua Amaro Velho. Após intervenção da Polícia Militar, o ato foi reduzido a apenas uma faixa da via. A pista foi totalmente liberada às 8h25.

Reajuste

As passagens de ônibus, metrô e trem em São Paulo aumentaram para 3,20 reais neste domingo (2). A tarifa não sofria alterações desde janeiro de 2011. A cota de junho para estudantes já será calculada com base no valor de 1,60 real, o equivalente à metade do novo bilhete.

Publicada no Diário Oficial do último dia 25 de maio, a decisão do prefeito Fernando Haddad decretou um reajuste de 6,67%. Se fosse aplicada a inflação do período, a tarifa cheia chegaria a 3,40 reais.

"Determinei que fizéssemos um esforço adicional para promover o menor reajuste possível em 2013, ainda que tenhamos dois anos e meio de inflação acumulada", afirmou o Haddad na terça-feira (21).

O aumento da tarifa deveria ter sido feito no início do ano. Para controlar a inflação, entretanto, o governo federal pediu o adiamento e foi atendido.

A mudança da tarifa não altera o sistema de integração gratuita por três horas, para o bilhete comum, e de duas horas, para os demais bilhetes. Essas viagens que combinam trechos em ônibus e metrô ou CPTM passarão a custar 5 reais.

Fonte: VEJA SÃO PAULO