Cidade

“Proposta de imbecil e idiota”, diz Maluf sobre planos de desativar Minhocão

O político e engenheiro afirma também que a estrutura do viaduto não suporta a instalação de um parque

Por: Silas Colombo

Paulo Maluf inauguração minhocão
O ex-prefeito Paulo Maluf na inauguração, em 1971: principal promessa de campanha (Foto: Acervo Folha Press)

Ex-prefeito da cidade (1969-1971 e 1993-1996), Paulo Maluf foi o responsável pela execução, em tempo recorde, como gosta de ressaltar, do elevado. Na entrevista a seguir, ele comenta o projeto de extinção da via:

+ As dicussões sobre o fim do Minhocão, que fervilha com atividades atualmente

› Como se sente ao ver o avanço dos projetos para desativar o Minhocão?

A pessoa que propõe isso é um terrorista contra a cidade. O Minhocão é como se fosse uma engrenagem de um relógio. Sem ele, o resto do complexo que eu construí não funciona.

› Com o avanço do projeto que fecha o viaduto nos sábados, o Minhocão caminha para virar um parque. O que o senhor acha disso?

Experimente fechá-lo um sábado sim, outro não, para ver o caos. Eu fiz o projeto e a execução e sei que não dá para fazer um parque ali.

› Os vizinhos do viaduto sempre reclamaram do barulho e da falta de privacidade. Como justificar isso?

É mentira. Eles não existem. Tenho estudos que mostram que o barulho embaixo do Minhocão é maior que em cima. Sem ele, a região teria ainda mais problemas.

+ Artista encontra 1500 exemplares de plantas no Minhocão

› Se o elevado fosse demolido, como o senhor se sentiria?

Tem gente que quer destruir São Paulo. Isso é proposta de imbecil e idiota. Se isso acontecer, haverá de ter cidadão que entre na Justiça contra esse crime.

› O senhor moraria num apartamento vizinho ao Minhocão?

Não vou responder a isso.

Minhocão em obras
As obras do elevado em 1970: catorze meses de trabalho (Foto: Acervo Folha Press)

Fonte: VEJA SÃO PAULO