Cidade

Projeto anticrack da prefeitura é investigado por indícios de desvio

De acordo com reportagem publicada no jornal 'Folha de S. Paulo', Programa De Braços Abertos tem falhas em prestação de contas e recibos

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Programa Braços Abertos Prefeitura
Programa Braços Abertos: indícios de falhas na prestação de contas  (Foto: Fabio Arantes / Secon)

O Programa De Braços Abertos da gestão Fernando Haddad (PT) é investigado pelo Ministério Público Estadual por indícios de desvio no dinheiro pago aos beneficiários e na prestação de contas das entidades participantes. De acordo com reportagem publicada no jornal Folha de S. Paulo, a denúncia é investigada pela Promotoria de Patrimônio Público com base em relatos dos integrantes e em auditoria realizada pelo Tribunal de Contas do Município (TCM).

+Haddad vai expandir projeto anticrack para quatro bairros

De acordo com o TCM, encontro irregularidades em recibos de pagamento assinados pelos usuários de drogas: os nomes e as assinaturas não eram as mesmas. A auditoria, segundo o jornal, também detectou que usuários que não haviam comparecido ao trabalho recebiam dinheiro. No programa De Braços Abertos, os usuários recebem 15 reais por dia para varrer ruas; a remuneração é uma tentativa de mantê-los longe das drogas. 

O Ministério Público, segundo a reportagem, analisou os recibos enviados pelos hotéis que abrigam os usuários às ONGs que administram o programa. O hotel São Lucas, na alameda Dino Bueno, entregou recibos com dados de outra empresa.

+Cracolândia: programa da prefeitura tem hotéis insalubres e viciados que recebem sem trabalhar

Em resposta ao jornal, a prefeitura afirmou que parte dos problemas apontados pela reportagem foram solucionados e que respondeu aos questionamentos feitos pelo TCM. A administração declarou que o programa é capaz de resgatar os usuários de drogas e faz com que reduzam o consumo de crack. 

Fonte: VEJA SÃO PAULO