Passeios

Quinze programas gratuitos ou baratos para curtir em São Paulo

De piquenique a balada, opções para se divertir o ano todo

Por: Larissa Faria - Atualizado em

Masp
Museu de Arte de São Paulo, o MASP: visitação gratuita às terças-feiras (Foto: Barbara Aguiar)

Em São Paulo, com a vasta programação cultural, é normal se sentir perdido com tantas opções. Difícil é encontrar bons programas que não te façam gastar todo o salário em apenas um fim de semana. Impossível, acredite, não é. Selecionamos quinze opções e dicas para curtir a cidade gastando pouco ou quase nada.

+ Os melhores programas do fim de semana

1- Andar de bike

Bike Sampa
Bike Sampa possibilita passeios grátis (Foto: Divulgação)

Locomova-se de graça enquanto queima calorias. O Bike Sampa e o CicloSampa são sistemas de aluguel de bikes com opções de uso gratuito. No Bike Sampa, em viagens de até uma hora, o custo é zero (você pode usar a bike por uma hora, devolver, aguardar quinze minutos e fazer uma viagem de até uma hora novamente). Com o CicloSampa, as viagens gratuitas são de trinta minutos e o intervalo entre elas para não gastar nada é de sete minutos. Há "estações" para pegar e devolver as bicicletas em diversos pontos.

2- Passear por museus em dia de visitação gratuita

Férias no Catavento Cultural
Acervo do Catavento interativo atrai toda a família (Foto: Bruno Matos)

Ver de perto obras consagradas ou passar um dia divertido em um museu interativo como o Catavento Cultural pode não custar nada. É só se programar! Confira abaixo seis museus com seus respectivos dias de visitação gratuita:

Museu de Arte de São Paulo (MASP)terça-feira

Pinacoteca do Estado: sábado

Museu do Futebol: sábado

Catavento Cultural: sábado

Museu de Arte Moderna (MAM): domingo

Museu de Arte Contemporânea (MAC): entrada gratuita permanentemente

3- Curtir e tirar fotos em uma vista privilegiada

RenattodSousa Foto Galeria
Copan em cores (Foto: RenattodSousa)

Os arranha-céus que permitem uma bela visão da cidade têm visitas gratuitas para quem quer observar e fotografar. No Edifício Martinelli, as visitas com vinte minutos de duração ocorrem de segunda a sexta das 9h30 às 11h30 e das 14h às 16h (com intervalos de trinta minutos). No icônico Edifício Itália, rolam de segunda a sexta-feira, das 16h às 17h. No Copan, são realizadas de segunda a sexta às 10h30 e 15h30. Atualmente, o Edifício Altino Arantes encontra-se fechado para visitas.

4- Dividir um lanche de mortadela do Mercadão com um amigo

Bar do Mané
O famoso sanduíche de mortadela (Foto: Divulgação)

O gigante lanche de mortadela com 300 gramas do embutido sai por 18 reais no tradicional Bar do Mané (aberto desde 1933!). Uma boa opção para matar a fome de duas pessoas após um passeio no centro.

5- Fechar uma sala de karaokê para cantar (muito!)

Karaoke no Seu Miagui 2218
Karaokê (Foto: Fernando Moraes)

Os conhecidos karaokês do bairro da Liberdade permitem todo mundo soltar a voz sem passar vergonha. No Porque Sim, as salas fechadas para dez pessoas saem por 40 reais a hora. Para um grupo de vinte amigos, a hora da diversão custa 80 reais. A lista de opções para cantar é vasta: das músicas mais famosas até as desconhecidas.

6- Experimentar quitutes orientais na feirinha gastronômica da Liberdade

Praça da Liberdade
Ferinha da Liberdade (Foto: Leonam Bernardo)

Os quitutes orientais são feitos na hora na feirinha do bairro da Liberdade aos finais de semana. Das 9h às 17h, a Praça da Liberdade é tomada por barraquinhas com artesanato e delícias como yakisoba, sushi, sashimi, saquê e o delicioso bolinho de feijão japonês, azuki.

7- Conhecer o centro à noite com os passeios culturais da Caminhada Noturna

Caminhada Noturna
Caminha noturna (Foto: André Bogdan/Divulgação)

Todas as quintas-feiras às 20h, em frente ao Teatro Municipal, o grupo da Caminhada Noturna se reúne para iniciar uma caminhada cultural noturna pelo centro. O passeio gratuito, com duração de duas horas, tem o prédio do teatro como ponto de início e fim do trajeto.

8- Fazer um piquenique (ou apenas tomar sol) no jardim suspenso do Centro Cultural São Paulo

CCSP 30 anos - Jardim
Jardim suspenso do CCSP (Foto: João Mussolin)

Muita gente que passa pela Rua Vergueiro ignora o fato que o Centro Cultural São Paulo contempla um espaço de tranquilidade. Além dos shows e sessões de cinema com bons preços, quem sobe as escadas do local para o jardim suspenso garante bons momentos para ler um livro, conversar, tomar um pouco de sol ou até mesmo fazer um piquenique.

9- Tomar um cafezinho no local da primeira construção da história da cidade

Pátio do Colégio
Pátio do Colégio: instalado no centro histórico de São Paulo (Foto: Germano Luders)

O Pátio do Colégio, marco da primeira construção da cidade, abriga ao lado do Museu Anchieta um cafezinho para quem quiser dar uma pausa no passeio pela região do centro.

10- Aproveitar para ler, no trajeto de volta para casa, algum livro baratinho das máquinas do metrô

pague quanto acha que vale livros
Pague quanto acha que vale: livros a partir de 2 reais (Foto: Larissa Faria)

As máquinas de livros com o dizer "pague quanto acha que vale" estão instaladas em algumas estações de metrô como Brás e Consolação e têm livros a partir de 2 reais.

11- Renovar o guarda-roupa e a decoração da casa nos centros comerciais barateiros

Rede Galinha Morta
Rede Galinha Morta: bolsas, sapatilhas, peep toes e escarpins a bons preços (Foto: Ricardo D'Angelo)

São Paulo tem uma varidade de comércio especializado que enlouquece qualquer pessoa que gosta de fazer compras e, ainda sim, economizar. Para você não se perder entre as milhares de opções e ir direto aos estabelecimentos com os melhores preços, confira um guia de quarenta lojas barateiras em diversas regiões da capital.

12- Fazer um bate-volta de Expresso Turístico para Jundiaí, Mogi das Cruzes ou Paranapiacaba

expresso turístico cptm
Expresso Turístico na Estação da Luz: dois carros de aço puxados por locomotiva a diesel (Foto: Divulgação)

Trens do século XIX reformados especialmente para um passeio de domingo: com o Expresso Turístico da CPTM, é possível chegar e voltar de Jundiaí, Mogi das Cruzes ou Paranapiacaba com menos de 40 reais por pessoa.

13- Explorar a rede Sesc

Solário Sesc Pompeia
Sesc Pompeia (Foto: Reprodução)

A programação variada do Sesc, com boas opções para todas as idades, também é acessível. Instaladas em diversos bairros, as unidades contam com os preços baixos, um atrativo para lotar sua agenda sem esvaziar o bolso.

14- Curtir a famosa noite da cidade sem pagar para entrar

blitz haus
Blitz Haus: festas que atraem moderninhos para Rua Augusta (Foto: Victo Vivacqua)

Badalar a custo zero. Diversas festas promovidas na capital, especialmente na Rua Augusta, colocam o nome de quem quer curtir numa lista, para permitir a entrada gratuita (normalmente, até as 22h ou 23h). Assim, dá pra economizar no ingresso para investir na consumação. Entre as opções para ficar de olho na programação de eventos, estão a Blitz Haus e o Tex Redneck Bar.

15- Conhecer a nascente do Rio Ipiranga numa trilha simples

Caminho do Rio, de Jean Paul Ganem - Jardim Botânico
Jardim Botânico (Foto: Divulgação)

Não precisa ser um especialista em aventuras ou gastar muito a sola do sapato para fazer uma trilha: entre as árvores do Jardim Botânico, com menos de 1 quilômetro caminhada (ida e volta), você pode ver de pertinho a nascente do Rio Ipiranga.

Fonte: VEJA SÃO PAULO