Passeios

Confira nossas dicas de programas (super) refrescantes em São Paulo

Bares, restaurantes, piscinas e até cinemas em que é possível se aliviar das altas temperaturas

Por: Redação VEJA SÃO PAULO - Atualizado em

bar piscina day use hyatt
Grand Hyatt: hotel oferece day spa como opção ao day use (Foto: Divulgação)

Quem disse que não dá para aproveitar o verão em meio ao cimento e concreto de São Paulo? Para quem não foi ao litoral, a cidade oferece uma gama de atrações que vão das piscinas públicas e de hotéis, às atrações da ciclofaixa, drinques e comidinhas preparados para esta época do ano. Veja nossas dicas e saia de casa.

 Usar piscinas públicas e day-use em hotéis

A cidade tem mais de vinte piscinas públicas espalhadas por vários bairros. Algumas delas só podem ser utilizadas por atletas profissionais, como é o caso da localizada no Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa da Vila Mariana, mas a maioria é aberta para o público. Para utilizá-las, o usuário deve comparecer aos clubes ou mini-balneários em que estão localizadas munido de documento com foto e comprovante de endereço. O serviço é gratuito. Para conferir a lista completa de endereços, clique aqui.

Para quem preferir, alguns hotéis da capital oferecem piscinas no sistema day-use. No Mercure Ibirapuera, por exemplo, o modelo inclui apartamento, academia e piscina. Ele vale diariamente das 9h às 18h e o preço por casal varia de R$ 155,00 a R$ 187,00.

No Grand Hyatt, serviço está associado ao day spa do Amanary Spa, localizado dentro do endereço. Ao comprar um pacote de tratamentos, o hóspede pode relaxar em outras partes do hotel. O mais simples, com duração de 1h40, consiste em escalda-pés, reflexologia e massagem. Quando terminar, o cliente possui acesso à sauna seca, academia e piscinas climatizadas, além dos três restaurantes do local. As piscinas ficam abertas de segunda a sexta, entre 6h e 22h, e de sábado a domingo, das 7h às 22h. Custa a partir de R$ 274,00. 

+ Confira mais opções de day use em hotéis

Fazer tratamentos refrescantes em spas

A pele costuma ficar mais ressecada e feia no verão, por isso, além de se refrescar, cuidar da aparência em tratamentos estéticos dos spas é também cuidar da saúde. No Olimpía Spa, por exemplo, há o ofurô verão (com temperatura reduzida, óleos para dar sensação de frescor e chá gelado servido aos usuários). Sai por R$ 118,00 (trinta minutos). Existem também terapias com esfoliantes de hortelã, que dão a sensação de frescor, massagem com óleos mais refrescantes e outros.

Delirium Café
Chopes e cervejas amenizam o calor no Delirium Café (Foto: Fernando Moraes)

Tomar cervejas refrescantes

Nos bares da cidade, procure por rótulos do estilo witbier, com teor alcóolico médio entre 4,5% e 5,5%. Essas bebidas costumam ter toques de laranja e coentro na fórmula, por isso são ainda mais refrescantes. São exemplos a paulista artesanal Júpiter Tânger (R$ 16,00, a garrafa de 330 mililitros no Melograno), com casca de tangerina na receita, e a belga Vedett (R$ 18,00, a garrafa de 330 mililitros no Delirium Café), de gostinho cítrico. Entre as lagers, prove a Göttlich Divina!, de Joinville (SC), feita com guaraná. No Frangó, a garrafa de 600 mililitros sai por R$ 19,50. 

Refrescar-se com estilo bebericando drinques nos bares do Jockey

Faz parte do resgate aos tempos de ouro do Jockey Clube de São Paulo os investimentos em bares, baladas e outras atrações de entretenimento. Com cardápios atraentes e um público jovem, o Cânter Bar e a Mercearia São Roque  caíram no gosto dos paulistanos. Na Mercearia, a happy hour de segunda a sexta, até a 0h, oferece entre as opções caipirinha de lima-da-pérsia (R$ 18,90) e chopes das marcas Heineken e Amstel (R$ 8,30 cada um).

O Catarina
Ostras fresquinhas trazidas de Florianópolis (Foto: Fernando Moraes)

Provar ostras fresquíssimas trazidas de Santa Catarina

Em Perdizes, o boteco O Catarina leva esse nome não por acaso. Além de ser o apelido do ex-pescador Renato Silvy Andrade, criado na Praia de Canasvieiras, em Florianópolis, o bar tem entre seus atrativos ostras fresquíssimas trazidas duas vezes por semana da capital catarinense, sempre às terças e às sextas. Acomode-se numa das mesas cobertas com toalhas de chita espalhadas pela calçada e prove a porção com seis unidades do molusco (R$ 29,00). Na Rua Caraíbas, pertinho dali, a casa dispõe de outro pequenino salão, com clima de restaurante.

Tomar cervejas refrescantes

Nos bares da cidade, procure por rótulos do estilo witbier, com teor alcóolico médio entre 4,5% e 5,5%. Essas bebidas costumam ter toques de laranja e coentro na fórmula, por isso são ainda mais refrescantes. São exemplos a paulista artesanal Júpiter Tânger (R$ 16,00, a garrafa de 330 mililitros no Melograno), com casca de tangerina na receita, e a belga Vedett (R$ 18,00, a garrafa de 330 mililitros no Delirium Café), de gostinho cítrico. Entre as lagers, prove a Göttlich Divina!, de Joinville (SC), feita com guaraná. No Frangó, a garrafa de 600 mililitros sai por R$ 19,50. 

Tendências do verão 2248 - Champanhe com gelo - Empório Santa Maria
Taça tipo cabernet: três cubos de gelo para refrescar (Foto: Divulgação)

Beber uma taça de champanhe com gelo

Coisa inimaginável até recentemente, há no mercado um champanhe para tomar com gelo. O Moët Ice Imperial é um demi-sec, ou seja, meio adocicado. Permite ser incrementado com folhas de hortelã e raspas de gengibre, entre outros ingredientes que realçam o seu frescor. Só não vá suar frio na hora de pagar, já que cada garrafa sai por R$ 281,00 no Empório Santa Maria.

ciclofaixa_paulsita
Ciclistas aproveitam dia de sol na Avenida Paulista (Foto: Guilherme Lima)

Andar de bicicleta na ciclofaixa e aproveitar suas atrações

Se existem dois programas paulistanos que combinam com o verão são as ciclofaixas e tudo o que elas oferecem de mais refrescante em seus 218,7 quilômetros de extensão: diversas opções de parques, casas de sucos, bares, restaurantes, day uses em hotéis de luxo, museus e cinemas com ar condicionado potente.

Provar café gelado

Algumas cafeterias da cidade aprontam suas novidades para os clientes que não dispensam a bebida, mas também não querem sofrer com o calor. A CAU Chocolates, entre outras opções para o verão, oferece uma versão fresca do tradicional cappuccino. Uma dose de café e Nutella são misturados a chocolate gelado. Acompanha creme de leite e raspas de chocolate. Sai por R$ 15,00.

Reserva Cultural
Reserva Cultural (Foto: Divulgação )

Ir a cinemas com ar condicionado potente

Quem freqüenta as salas do CineSesc e do Reserva Cultural sabe que, tão importante quanto chegar cedo para não pegar filas é sair de casa com um casaquinho. Localizadas em pontos movimentados da cidade – a Rua Augusta e a Avenida Paulista, respectivamente -, podem servir de refúgio em tardes calorentas. Melhor ainda: exibem filmes que, em boa parte dos casos, passam longe das obviedades das telas de shopping centers. Por duas horas, que tal se desligar do verão refrescar-se em outras praias cinematográficas?

Vipiteno Gelato & Caffè
Taça da Vipiteno Gelato e Caffè, que fica aberta até mais tarde (Foto: Divulgação)

Tomar sorvete em endereços que abrem até tarde da noite

A Vipiteno do Itaim Bibi funciona das 12h à 0h diariamente. A sorveteria, que tem como sócio e chef o experiente Laurent Suaudeau, oferece sorbets de mexerica e framboesa com limão-siciliano (uma bola de 90 gramas custa R$ 10,00 e duas, R$ 12,00). Já a taça da casa leva sorvete de coco e chocolate com calda de cupuaçu, chantili e telha de amêndoa (R$ 21,80),

Restaurante Spot
Ambiente do restaurante Spot: clientes esperam mesa no bar lotado de moderninhos perto de fonte (Foto: Mario Rodriges)

Jantar em lugares frescos ou gelados

Sentar-se à beira do chafariz enquanto espera por uma mesa no concorrido Spot, no Jardim Paulista. Se preferir um ar condicionado beeem forte, considere almoçar ou jantar dentro de um shopping. Pode ser boa alternativa o Tre, no JK Iguatemi.

Bardega
Bardega, nos Jardins, oferece 110 rótulos de vinhos em baixa temperatura (Foto: Divulgação))

Escolher vinhos brancos e rosés

Refrescar a rotina com vinhos brancos e rosés, reconhecidos pela leveza e frescor, também ajuda a suportar o calor. Esses rótulos permitem uma temperatura de serviço mais baixa que os tintos, por volta de 16 graus Celsius. No Bardega, nos Jardins, é possível provar dezenas de rótulos em taça.

Fonte: VEJA SÃO PAULO