Comidinhas

Saiba como foi a gravação do novo programa do GNT sobre food trucks

Até novembro, reality show será filmado em 27 pontos da cidade. Moradores participam comprando os pratos

Por: Bruna Ribeiro - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

"Olha o SushiSalad do Félix!", grita Rodrigo David, de 33 anos, um dos participantes de Food Truck: A Batalha, novo programa de gastronomia da emissora GNT, com estreia prometida para março de 2015. A brincadeira reproduz a fala do vilão Félix ao vender hot-dog na novela Amor à Vida, da TV Globo. A cena ocorreu nesta quarta (10), na gravação de um dos episódios do programa, que coloca duas duplas em trailers de comida para oferecer suas receitas aos paulistanos.

 

David tentou chamar a atenção do público quando viu que a fila de espera para as comidinhas do concorrente estava bem maior. No final da disputa, vence quem lucrar mais com a venda das porções, levando para casa o montante arrecadado pelos dois caminhõezinhos. Nesta edição, cerca de cinquenta pessoas compareceram ao endereço, na Vila Madalena.

Em formato de reality show, o programa terá trinta episódios temáticos com duração de uma hora cada um. O assunto da vez era comida oriental. De um lado, o tal SushiSalad do "Félix", com um rolinho de algas recheado de pepino, kani, cenoura, alface, camarão e molho agridoce (R$ 14,00). Do outro, Victor Ferri, de 24 anos, conquistou a simpatia do público, apresentando um combo com uma pasta oriental, um sushi primavera e uma bebida (R$ 20,00).

Food Truck A Batalha
Até novembro, reality show será gravado em 27 pontos da cidade (Foto: Bruna Ribeiro)

Vindo de Campos do Jordão, Thiago Fegies, de 29 anos, aproveitou a visita à capital para participar do programa e experimentou as duas opções. "Acho que os clientes se interessaram mais pelo combo porque vinha mais comida. Mas a textura, o frescor e o sabor do SushiSalad contam a favor. O sushi primavera estava um pouco oleoso."

Apesar dos elogios de Fegies, a saladinha também recebeu críticas. De acordo com a gerente de produção Luisa Cassab, de 26 anos, nem todos os rolinhos estavam com o mesmo sabor e tempero. "Achei que poderia ter mais molho, mas gostei."

 

Reclamações à parte, foi com sorriso no rosto que a clientela acompanhou as filmagens, dirigidas por André Barmak. Ele conta que a ideia do programa é justamente levar à rua profissionais acostumados a trabalhar entre as quatro paredes das cozinhas dos restaurantes. "O desafio é saber como eles se adaptam a essa nova realidade."

Food Truck A Batalha 7
Marcio Silva, dono do Buzina, e Adolpho Schaefer, fundador do Holy Pasta, comandam a atração (Foto: Bruna Ribeiro)

Para ajudar, cada equipe conta com a liderança de um pioneiro da comida de rua em São Paulo. Marcio Silva, dono do Buzina, e Adolpho Schaefer, fundador do Holy Pasta, comandam a atração.

Ao fim do desafio, a dupla comenta que trabalhar na rua é um desafio maior para o cozinheiro, pois além de chefiar o fogão, é preciso lidar com outras demandas, como comprar produtos, atender e estimar o número de porções que será servida. "Por isso, ganha o mais eficiente e não necessariamente o melhor prato", conclui Silva.

As gravações seguem até novembro, sendo que a cada semana serão divulgados os locais onde o público pode acompanhar e participar da disputa.

Para participar, confira a programação abaixo:

Quinta, 11 de setembro, das 19h às 21h, no Made In Brazil - Alameda dos Jurupis, 1601, Moema.

Sexta, 12 de setembro, das 19h30 às 22h, na Cevadaria - Rua Maratona, 369, Vila Alexandria.

Fonte: VEJA SÃO PAULO