Incêndio

"Prioridade é liberar trens", diz Alckmin

Governador vistoriou obras de recuperação do Museu da Língua e da Estação da Luz

Por: Estadão Conteúdo

Incêndio Museu da Língua Portuguesa
As chamas do lado de fora e o cenário de destruição dentro do prédio: 5 000 dos 7 700 metros quadrados destruídos (Foto: Mariana Topfstedt/Estadão Conteúdo)

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou neste sábado (26) que as obras emergenciais na Estação da Luz, parcialmente atingida por um incêndio no último dia 21, têm por objetivo liberar o local o quanto antes para circulação dos trens da CPTM e do Metrô, informou a Agência Brasil.

+ Amigo tentou impedir bombeiro de voltar ao local do incêndio

"A prioridade neste momento é liberar os trens da CPTM", disse Alckmin. "Todo o trabalho está sendo feito hoje e vai ser feito amanhã também. O IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) nos dirá se será necessária mais alguma medida de segurança. Se for concluído o trabalho de fixação das paredes e a retirada de parte dos escombros, o IPT deve ser chamado amanhã", afirmou. Os trabalhos no local estão a cargo da empresa Concrejato.

A Estação da Luz está fechada desde o incêndio, que destruiu o Museu da Língua Portuguesa, localizado no mesmo prédio. Na ocasião, um bombeiro morreu. "A impressão lá dentro [do museu] é desoladora, uma tragédia. Mas quero reafirmar nosso compromisso em restaurar o prédio. O prazo de restauro será o menor possível, mas não dá para dizer quanto tempo", disse Alckmin. O tucano acrescentou que as imagens das câmeras de segurança já começaram a ser analisadas pela Secretaria de Segurança Pública, que deve concluir um laudo com as causas do incêndio em até 15 dias.

Conforme o governador, os custos da reforma emergencial estão sendo cobertos pela organização social responsável pelo Museu da Língua Portuguesa. O seguro do prédio, porém, já foi acionado, concluiu.

Fonte: VEJA SÃO PAULO