Memória

Primeira fábrica de cimento do país está abandonada

Moradores de Perus querem usar ruínas da antiga Companhia Brasileira de Cimento Portland Perus como centro cultural

Por: Maurício Xavier [colaborou Nathalia Zaccaro] - Atualizado em

Memória Paulistana -Fábrica de Cimento Perus - Ed. 2355
A indústria de cimento em 1977: a primeira do gênero no país (Foto: ACERVO SINDICATO DOS TRABALHADORES DA INDÚSTRIA DO CIMENTO C.G. SP)

A poucos metros da Estação Perus da CPTM, na Zona Norte, um enorme terreno abriga ruínas da Companhia Brasileira de Cimento Portland Perus, a primeira fábrica do setor no país. Em setembro, a população do bairro lançou um projeto para transformar a área em centro cultural. “A região cresceu em torno da empresa, é um patrimônio nosso”, diz o artista Clébio Ferreira.

A prefeitura ainda avalia o pedido, mas o local já recebe eventos como espetáculos de dança e oficinas de grafite. Controlada por um grupo de canadenses, a indústria funcionou entre 1926 e 1987 e forneceu matéria-prima para obras de vulto, como a construção do Vale do Anhangabaú. 

Memória Paulistana - Fábrica Cimento Perus - Ed. 2355
Funcionários em 1958: protesto por melhores condições de trabalho (Foto: ACERVO SINDICATO DOS TRABALHADORES DA INDÚSTRIA DO CIMENTO C.G. SP)

A companhia foi alvo de protestos por melhores condições de trabalho a partir dos anos 50, resultando em seguidas greves entre 1962 e 1969, a maior delas com três meses de duração. Conhecidos como “queixadas”, os líderes do movimento tornaram-se heróis da vizinhança.

Fonte: VEJA SÃO PAULO