Urbanismo

Prêmio coloca dez obras arquitetônicas paulistanas entre as mais inovadoras do país

o prêmio O Melhor da Arquitetura considerou arquitetura residencial e comercial

Por: Sara Duarte - Atualizado em

Nos últimos anos, as ruas da cidade ganharam mais do que arranha-céus envidraçados e edifícios em estilo neoclássico. Das quinze obras arquitetônicas mais inovadoras e criativas produzidas em todo o Brasil desde 2006, segundo uma votação promovida pela revista Arquitetura & Construção, dez ficam em São Paulo. São construções que pretendem mudar – para melhor – a paisagem paulistana. Todas refletem o desejo de fugir do óbvio. Entregue na última terça, o prêmio O Melhor da Arquitetura teve 421 projetos inscritos. Um júri composto de experts como o arquiteto Roberto Loeb e o fotógrafo Cristiano Mas-caro elegeu os mais bacanas, segundo critérios como funcionalidade, economia na obra e integração com o entorno. O grande vencedor foi o arquiteto Héctor Vigliecca, responsável pela reforma da Rua Oscar Freire e também pela urbanização de um conjunto habitacional na favela de Heliópolis.

O concurso destacou boas idéias em arquitetura tanto residencial quanto comercial. A equipe da Aflalo & Gasperini recebeu menção honrosa em sustentabilidade pela concepção do Edifício Rochaverá, no Morumbi. Com produtos que parecem flutuar, a loja de perfumes Eos Bela Cintra, nos Jardins, rendeu um prêmio ao arquiteto Paulus Magnus. A dupla Ivo Wohnrath e Sérgio Athié ficou com o troféu de o melhor escritório pelas instalações futuristas que criou para a Unilever, na Avenida Presidente Juscelino Kubitschek. Confira detalhes de cinco projetos premiados.

Fonte: VEJA SÃO PAULO