Teatro

Grupos premiados se unem por novas montagens nos palcos

Nesta semana, três companhias entram em cartaz com os dramas "Ópera dos Vivos" e "Marcha para Zenturo"

Por: Pedro Ivo Dubra

Ópera dos Vivos - 2199
"Ópera dos Vivos", da Companhia do Latão: no Sesc Belenzinho (Foto: Sérgio de Carvalho)

Uma parte expressiva do teatro feito na cidade se deve aos grupos, nos quais atores, diretores e dramaturgos se unem e passam anos a fio pesquisando temas e desenvolvendo trabalhos conjuntos. Nesta semana, três premiados coletivos levam duas novas montagens aos palcos.

Marcha para Zenturo - 2199
Janaína Leite e Marcelo Castro em "Marcha para Zenturo": criação conjunta das trupes Espanca! e XIX de Teatro (Foto: Divulgação)

No sábado (15), a Companhia do Latão estreia o drama Ópera dos Vivos. Com texto e direção de Sérgio de Carvalho, a produção cultural brasileira a partir dos anos 60 é abordada sob a ótica da mercantilização. A peça se desenrola em dois espaços do Sesc Belenzinho. Começa na Sala de Espetáculos 1 e vai para a 2 após o intervalo. Tem quatro atos e quatro horas (!) de duração.

Já no Centro Cultural São Paulo há uma parceria a partir de sexta (14): o grupo Espanca!, de Belo Horizonte, que começou a chamar atenção com Por Elise, e a trupe paulistana XIX de Teatro, revelada em Hysteria, uniram esforços e criaram o drama Marcha para Zenturo. Com dramaturgia de Grace Passô, do Espanca!, e direção de Luiz Fernando Marques, do XIX de Teatro, trata-se de uma meditação sobre passado, presente e futuro, focando o encontro de cinco amigos numa comemoração de réveillon.

Fonte: VEJA SÃO PAULO