Decisão

Prefeitura transfere verba da Operação Urbana para troca de semáforos

O dinheiro seria utilizado inicialmente em uma série de projetos e intervenções urbanas na região sul da capital

Por: Juliana Deodoro - Atualizado em

Avenida Paulista
Cerca de 4 800 cruzamentos, dos mais de 6 000 existentes serão contemplados (Foto: Mario Rodrigues)

A Prefeitura de São Paulo liberou 69,5 milhões de reais para a reforma e modernização de parte dos semáforos da cidade. O crédito adicional só foi possível porque a administração cortou 18,5 milhões de reais que seriam destinados a obras e instalações da Operação Urbana Água Espraiada, uma série de projetos e intervenções urbanas na região sul da capital.

Este é o primeiro grande lote de investimentos anunciado pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) para a troca de semáforos. Ao todo, a Secretaria Municipal de Transportes pretende investir 250 milhões de reais na compra de materiais e aquisição de novos equipamentos. 

A mudança, que prevê o aterramento de fios e instalação de nobreaks (fonte de energia) e controladores, evitará que semáforos parem de funcionar, especialmente em dias chuvosos. Cerca de 4 800 cruzamentos dos mais de 6 000 existentes serão contemplados.  

O especialista em engenharia de trânsito Sérgio Ejzenberg explica que essa mudança é essencial já que semáforos e fios existentes na capital se transformam em para-raios em dias chuvosos. Mas, segundo ele, apesar do alto custo, essa mudança não deveria exigir a transferência de recursos. “A CET tem uma receita de 800 milhões em multas por ano. Esse dinheiro daria de sobra para instalar os semáforos.” 

Segundo a CET, ainda neste mês será publicado o edital para a escolha da empresa que vai prestar o serviço. A execução da primeira etapa está prevista para começar em julho. O projeto só deve ser concluído em dois anos. No total serão investidos 550 milhões de reais.

Fonte: VEJA SÃO PAULO