CIDADE

Prefeitura quer tirar muros dos cemitérios para valorizar áreas verdes

Parte de estrtura do Cemitério da Consolação, na região central, já foi substituída por grades

Por: Estadão Conteúdo

Cemitério da Consolação
Cemitério da Consolação: tombado pelo patrimônio histórico (Foto: Alexandre Schneider)

A prefeitura quer retirar os muros dos cemitérios da capital para valorizar as áreas verdes e históricas de São Paulo. Entre as unidades está o Cemitério da Consolação, na região central, tombado pelo patrimônio histórico municipal (Conpresp). Uma parte da estrutura de cimento ao lado da Rua Maranhão já foi substituída por grades.

Google Street View começa a mapear cemitérios paulistanos

Segundo o prefeito Fernando Haddad (PT), a administração municipal aproveitou a queda de uma parte do muro para testar a reação de quem passa em volta do local. "Substituímos por grades para verificar se a comunidade e órgãos do patrimônio histórico autorizam. Nós estamos substituindo muro por cerca. São Paulo viveu um momento muito particular, que tudo foi se cercando, e nós estamos no caminho inverso", afirmou o prefeito.

Cemitério da Consolação é cheio de lindas esculturas

Ainda de acordo com ele, os muros do Cemitério da Consolação não são tombados pelo patrimônio histórico. A exceção é o pórtico, que é a entrada principal, e tem a permanência garantida.

+ Confira as últimas notícias

No Cemitério do São Luís, na Zona Sul de São Paulo, a prefeitura está fazendo mesmo. No Parque Ceret, no Tatuapé, na Zona Leste, os muros já foram substituídos por cercas. O mesmo acontece no Parque Chácara do Jockey, na Vila Sônia, Zona Oeste da capital.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO