Cidade

Prefeitura procura investidor para construir arena multiuso no Anhembi

Complexo com capacidade para 20 000 pessoas deve abrigar shows e eventos esportivos

Por: Veja São Paulo

Anhembi
Arena multiuso deverá ser erguida próximo à área de concentração e não mudará estrutra do sambódromo (Foto: Divulgação)

A Prefeitura de São Paulo lançou, nesta terça (27), um edital de chamamento público para receber propostas de empresas interessadas em construir uma arena multiuso nas dependências do Anhembi, na Zona Norte. O complexo já abriga o sambódromo e um centro de convenções.

A intenção da administração é construir uma arena com capacidade para 20 000 pessoas, em uma área de 21,6 mil metros quadrados, tanto para eventos esportivos quanto para shows. O empreendimento poderia atrair até um milhão de turistas por ano à capital. O espaço ficaria na esquina da Marginal do Tietê com a Rua Professor Milton Rodrigues, onde hoje há prédios administrativos da São Paulo Turismo (SPTuris), próximo à concentração do Sambódromo.

Segundo o prefeito Fernando Haddad (PT), a ideia surgiu do próprio setor privado, após a empresa Time For Fun apresentar um projeto semelhante à administração municipal, orçado em 140 milhões de reais. "A nossa avaliação é que a área está sendo subutilizada. As margens do Rio Tietê serão o cartão postal definitivo, é lá que a cidade vai se reestruturar", afirmou.

+ Confira as últimas notícias

De acordo com secretário para Assuntos de Turismo, Wilson Poit, o contrato vai se firmado por meio de concessão, em que a prefeitura cede o direito de uso do terreno. O equipamento seria construído com capital completamente privado e o retorno do investimento seria por meio de exploração comercial. O perfil da concessão e os prazos para que o terreno seja devolvido à Prefeitura não estão definidos.

Após a publicação do edital, as empresas vão ter até quinze dias para oficializar interesse. Depois, os concorrentes terão de encaminhar estudos preliminares de engenharia e arquitetura, além de viabilidade técnica, operacional, financeira e econômica e estudos jurídicos.

(Com Estadão Conteúdo)

Fonte: VEJA SÃO PAULO