Saúde

Prefeitura pede ajuda de Exército para combater a dengue

Cinquenta soldados vão ajudar as equipes de saúde a entrarem nas casas para acabar com os focos geradores da doença

Por: Estadão Conteúdo - Atualizado em

Aedes_aegypti - dengue
Aedes Aegypti, mosquito transmissor da dengue (Foto: Muhammad Mahdi Karim/ Wikicommons)

A prefeitura de São Paulo pediu ajuda ao Exército para combater a dengue na capital. Em até dez dias, cinquenta soldados estarão treinados para entrar nas casas acompanhando os atuais 2 500 agentes de zoonose da Vigilância Sanitária e 7 000 agentes de saúde. Os soldados vão ser alocados para bairros com maiores índices de violência onde, segundo o prefeito, há resistência dos moradores em abrir a porta para os agentes.

+ Quais os riscos de pegar dengue durante a gravidez?

"Queremos usar esses profissionais mais qualitativamente. Porque em alguns bairros, sobretudo onde há muita violência, a pessoa às vezes se recusa abrir as portas para a Vigilância Sanitária", disse Fernando Haddad. "Então, não é um problema quantitativo, é qualitativo. Se a pessoa (agente) está acompanhada de um soldado, o morador se sente mais seguro de abrir".

De acordo com o secretário-adjunto de Saúde, Paulo Puccini, a prefeitura não consegue entrar em cerca de 20% das casas visitadas. "Perto dos 2 500 agentes, cinquenta é pouco. Mas aumenta a confiança do morador em abrir o seu lar para a entrada da equipe. Dá um novo tom."

Haddad solicitou ainda o apoio de instituições interessadas em colaborar e disse que este momento é de "mobilizar todos os esforços da cidade".

Tendas

Nesta quinta (16), a prefeitura instalou uma tenda na Lapa, junto ao Hospital Sorocabano, na Zona Oeste. Com ela, são seis em funcionamento, com capacidade para o atendimento diário de até 200 pessoas em cada uma.

+ Como escolher o melhor repelente contra a dengue?

Já na Zona Norte, há três: a tenda da Brasilândia, junto à Unidade Básica de Saúde (UBS) Vista Alegre; a da Freguesia do Ó, no Atendimento Médico Ambulatorial (AMA) Vila Palmeiras; e uma no Jaraguá, na AMA/UBS Elísio Teixeira Leite. Na Zona Sul, são duas em funcionamento: no interior da Subprefeitura da Cidade Ademar e uma anexa ao Hospital M'Boi Mirim.

Até a semana que vem, serão instaladas mais três tendas: Rio Pequeno, Vila Carrão e Itaquera.

Casos

A epidemia já afetou 8 063 pessoas só na capital. Outras 31 000 estão sob observação, com suspeita de dengue.

Fonte: VEJA SÃO PAULO