Incêndio

Poste pega fogo e causa correria no Itaim Bibi

Um cabo de energia se rompeu e atingiu a fiação de telefonia, o que causou sobrecarga na rede, segundo a Eletropaulo

Por: Adriana Farias - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Um poste de energia pegou fogo no bairro do Itaim Bibi, na Zona Oeste, no início da noite de quarta-feira (3) e provocou correria. Ninguém ficou ferido.

+ Homem fardado aparece em foto com mulheres seminuas em viatura

+ Andressa Urach sai do estado grave, mas segue na UTI

O incêndio ocorreu na esquina da Rua Joaquim Floriano com a Rua Bandeira Paulista por volta das 19h. Segundo a Eletropaulo, um cabo rompeu e atingiu a fiação de telefonia, causando uma sobrecarga na rede.

Moradores correram assustados e deixaram o local com medo de uma explosão. Outros registraram fotos.

incendio-poste-itaim2
(Foto: Roberto de Farias)

Como os fios estavam energizados, os bombeiros não puderam apagar o fogo imediatamente. Eles mantiveram a área isolada até a chegada de técnicos da Eletropaulo, que desligaram a energia. Na sequência, o fogo pôde ser controlado.

Ao menos quatro viaturas do Corpo de Bombeiros, além de outras quatro da concessionária, foram acionadas para atender a ocorrência.

Segundo funcionários do restaurante Floriano e da hamburgueria General Prime Burguer, os estabelecimentos do lado ímpar da Rua Joaquim Floriano ficaram momentaneamente sem energia. A Eletropaulo afirma que a rede foi normalizada às 23h30.

Moradores do local afirmaram que o incêndio começou após ouvirem seguidos estrondos e que as dezenas de fios entrelaçados no poste podem ter potencializado o problema. “Foi um susto”, disse o morador David Borges. “Ali é uma gambiarra de fios, um emendado no outro, isso intensificou o fogo.”

A Eletropaulo investiga o que provocou o rompimento do cabo, mas diz que faz constantes inspeções e manutenções de rede no Itaim. A concessionária alega que os diversos fios compartilhados no poste seriam de telefonia.

A empresa diz que envia notificações constantes às empresas de telecomunicação, que compartilham o espaço, para adequarem seus cabos.

Fonte: VEJA SÃO PAULO