Restaurantes

Porto Rubaiyat reabre na Rua Amauri em ponto mais aconchegante

Menu criado pelo chef espanhol Jesus Ramiro em parceria com José Luis Candenas tem sugestões que estimulam o apetite

Por: Arnaldo Lorençato e Helena Galante

Porto Rubaiyat 2228
O novo salão: cercado por belo paisagismo e dividido por um aquário (Foto: Mario Rodrigues)

Quando fechou as portas em julho do ano passado na Rua Leopoldo Couto de Magalhães, no Itaim, o Porto Rubaiyat deixou órfãos fãs de suas receitas de pescados. Sabia-se que essa ausência seria temporária. Filho do fundador Belarmino Iglesias, o médico e restaurateur Carlos Iglesias passou a procurar um ponto para reabrir a casa. Transferiu-a para a movimentada Rua Amauri, no mesmo bairro. Ela ressurgiu em junho num ponto menor e mais aconchegante, com salão envidraçado cercado por um belo projeto paisagístico. Para completar, um bonito aquário divide o ambiente.

+ Restaurante Trio abre filial nas alturas

+ Brown Sugar tem ambiente descolado

+ Mande um Xaveco Virtual pelo Twitter

As mudanças se estenderam ao menu, criado pelo chef espanhol Jesus Ramiro em parceria com seu conterrâneo José Luis Candenas, responsável pela execução das receitas. Reduzido em relação ao anterior, traz sugestões que estimulam o apetite. Uma dica: vá com calma no superlativo couvert. Batizado de entretenimientos, reúne pequenas delícias como costelinha de tambaqui grelhada, vinagrete de polvo, tartare de salmão, minigaspacho e croquete de catupiry e camarão.

Porto Rubaiyat 2228
Opções apetitosas: merluza no caldo de vôngole e lulas tenras sobre maionese de leite (Foto: Mario Rodrigues)

Das chamadas tapas, os aperitivos em estilo ibérico, despertam a atenção as formidáveis lulinhas grelhadas sobre maionese de leite com salada de brotos (R$ 32,00). Na lista de pratos principais, a merluza à la gallega (R$ 85,00) é uma magnífica posta cozida em caldo de moluscos quase se desmanchando de tão macia. Chega sobre batata e cebola em fios num molho de vôngole, mexilhão, páprica e alho. Oferece ainda quatro opções de carne.

Na sobremesa, prefira o biscoito de chocolate, um bolinho alto e quente servido com sorvete de creme (R$ 18,00) ao estilo do petit gâteau. Bem montada, a carta de vinhos traz escolhas como os espanhóis Codorníu Brut (R$ 85,00) e Viña Sol 2009 (R$ 78,00), da uva branca parellada. De segunda a sexta no almoço, há um menu executivo por R$ 65,00. Compõe-se de couvert, peixe do dia e uma fruta para a sobremesa.

COMIDA ✪✪✪✪ | AMBIENTE ✪✪✪✪ | SERVIÇO ✪✪✪

Fonte: VEJA SÃO PAULO