Criminalidade

Manicure torturada e morta roubou R$ 27 mil, afirma polícia

Por: Redação VEJASÃOPAULO.com - Atualizado em

Ane Kelly
Ane Kelly Santos era manicure e tinha 26 anos (Foto: Reprodução/Facebook)

Após divulgar que uma mulher havia sido torturada e morta em Barueri (SP) por furtar um pacote de biscoitos, a polícia divulgou nova versão sobre a motivação do crime.

Em coletiva nesta segunda-feira (12), o delegado Itagiba Franco, do Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoas (DHPP), afirmou que, na verdade, a manicure Ane Kelly Santos, de 26 anos, teria furtado 27 mil reais da casa de um vizinho - o dinheiro também era fruto de roubo. Ao ser descoberta, foi torturada até a morte. 

O vizinho era Jacson Nunes Pereira, de 21 anos, que acumulou os 27 mil reais vendendo peças de carros e motos roubadas. Ele costumava contratar Ane Kelly para fazer faxinas esporádicas na casa dele e percebeu que o dinheiro estava sumindo.

Jacson desconfiou dela e de um casal de amigos, Renata Fonseca da Silva e Valmir Lima de Oliveira, ambos de 27 anos. Depois de confrontar os amigos, chegou à conclusão que Ane Kelly havia roubado o dinheiro e armou uma emboscada para fazê-la confessar. 

A manicure admitiuo furto e, mesmo assim, foi torturada. Depois de uma coronhada na cabeça, Ane teve um olho furado com um garfo e levou um tiro no pé. Renata e OIiveira também tentaram enforcá-la. A ação foi grava no celular de um deles. 

A tortura ocorreu em Barueri, mas Ane foi levada ainda viva para uma cova aberta no meio da rua em uma favela de Osasco. Antes de ser jogada, um dos algozes a atingiu com uma enxada. A polícia não descarta a hipótese de ela ter sido enterrada viva.

+ Três são presos em Cumbica sob suspeita de furtar bagagens

A hipótese de ela ter roubado um pacote de bolachas - conforme divulgado pela polícia anteriormente - foi descartada após o depoimento dos três, que estão presos.

Ane Kelly era mãe de duas crianças. 

Fonte: VEJA SÃO PAULO