Cidade

Polícia Militar usa bombas para dispersar manifestantes

Centrais sindicais organizam atos em todo o país nesta sexta (29)

Por: Estadão Conteúdo - Atualizado em

Protesto USP
Manifestantes entraram em confronto com a Polícia Militar em protesto de funcionários da USP (Foto: Kevin David/Futura Press/Folhapress)

A Polícia Militar usou bombas de efeito moral para dispersar os manifestantes durante o protesto de funcionários da Universidade de São Paulo que bloqueou a esquina da Avenida Vital Brasil com a Rua Camargo na manhã desta sexta (29).

+ Dupla invade casa e faz família refém

Em todo o país, a Central Única dos Trabalhadores e outras centrais sindicais organizam manifestações contra o projeto de lei da terceirização, o ajuste fiscal e as medidas provisórias 664 e 665, que estabelecem novas regras para acesso a benefícios previdenciários.

Manifestantes bloqueiam a Avenida Paulista no sentido do Paraíso, em frente ao prédio da Fiesp. A Avenida do Estado também foi totalmente interditada no sentido Ipiranga, em frente ao Metrô Armênia.

+ Ameaça de bomba faz Fifa esvaziar prédio onde terá eleição

No litoral paulista, a Rodovia Cônego Domênico Rangoni foi interditada em ambos os sentidos, na altura do quilômetro 267.

+ Confira as principais notícias da cidade

Já em São José do Campos, metalúrgicos aderiram aos protestos. Segundo o sindicato que representa a categoria, muitos funcionários da General Motors não foram para a fábrica. Quem chegou, retornou para casa, dando início a uma paralisação de vinte e quatro horas.

Fonte: VEJA SÃO PAULO