Notícias

Jornalista condenado por matar a namorada vai para o regime aberto

Ex-diretor de redação de O Estado de S. Paulo, Antonio Marcos Pimenta Neves, de 79 anos, cumpria a pena no semiaberto desde 2013

Por: Estadão Conteúdo - Atualizado em

antonio pimenta neves
Pimenta Neves: progressão da pena para o regime aberto (Foto: Caio Guatelli)

A Justiça de São Paulo concedeu direito ao regime aberto para o jornalista Antonio Marcos Pimenta Neves, de 79 anos, ex-diretor de redação de O Estado de S. Paulo, condenado a dezenove anos, 2 meses e 12 dias de prisão pelo assassinato da também jornalista Sandra Gomide, em agosto de 2000, em um haras em Ibiúna, no interior de São Paulo.

+ Assassinos passionais que chocaram São Paulo

O juiz Carlos Henrique Scala de Almeida é o responsável pela decisão, que passou a valer no dia 10 de fevereiro. O magistrado considerou que o preso preencheu os requisitos para ter direito ao novo regime, por ter cumprido 1/6 da pena e ter bom comportamento no sistema prisional.

Agora, Pimenta Neves tem o direito de cumprir a pena em casa, com o compromisso de se recolher no começo da noite.

+ Os crimes e tragédias que causaram comoção na metrópole

Segundo as investigações, o jornalista não teria aceitado o fim do relacionamento com a vítima. O namoro dos dois durou quatro anos. Pimenta Neves foi julgado e condenado em 2006, após instâncias do Judiciário analisarem todos os recursos impetrados por seus advogados durante o processo.

Mesmo depois da condenação, os advogados recorreram da sentença em todas as instâncias, até a decisão final do Supremo Tribunal Federal (STF), em maio de 2011. A partir daí, ele passou a cumprir a pena em regime fechado no Presídio de Tremembé, no interior de São Paulo.

+ Últimas notícias: fique por dentro do que acontece na cidade

Em setembro de 2013, a Justiça aceitou novo pedido de progressão de pena dos advogados e o jornalista passou para o regime semiaberto, em que o preso apenas dorme na penitenciária.

Os advogados informaram que Pimenta Neves deve ficar alguns dias no interior antes de voltar para casa, na Zona Sul da capital.

Fonte: VEJA SÃO PAULO