cidade

Pilastra pode ter atrapalhado ciclista, diz delegado

Aposentado morreu um dia após ter sido atingido pelo ciclista Gilmar Raimundo Alencar

Por: Ana Luiza Cardoso - Atualizado em

Ciclovia Minhocão
Ciclovia sob o Minhocão: disputa entre pedestres e ciclistas (Foto: Nelson Antoine/Frame/Folhapress)

O ciclista que atropelou um idoso na Avenida General Olímpio da Silveira, em Santa Cecília, na região central da cidade, pode ser sido atrapalhado por uma pilastra do Minhocão. Em depoimento à polícia, Gilmar Raimundo de Alencar, de 45 anos, afirmou que o aposentado não o viu passar pelo local. O delegado Lupércio Antonio Dimov, que investiga o caso, afirmou que uma das pilastras do Elevado Costa e Silva pode ter atrapalhado a vísão de ambos. 

+ Idoso morre após ser atropelado por ciclista em pista sob o Minhocão

Alencar disse que ambos estavam fora da ciclovia no momento da colisão, que teria acontecido na avenida. O acidente ocorreu na Avenida General Olímpio Silveira, em frente ao supermercado Extra, no bairro Santa Cecília (centro).

O ciclista contou que a colisão aconteceu quando ele seguia pela avenida no sentido dos carros e pretendia acessar a ciclovia para cruzar a pista em direção à Perdizes. “Eu estava fora da ciclovia e uma pilastra impediu que a gente se visse”, afirmou Alencar. “Ele atravessou a rua e não me viu. Não tem nada que eu fale que o trará de volta. Lamento muito por isso.”

+ Prefeitura estuda fechar a Paulista aos domingos a partir do dia 30

O ciclista contou ainda que prestou socorro à vítima. Questionado se estava em alta velocidade, afirmou acreditar estar em cerca de 20 quilômetros por hora. "Se estivesse andando rápido, também teria me ferido com mais gravidade."

A polícia informou que a bicicleta será levada para análise e que um laudo deve sair em trinta dias. Um reconstituição do acidente também deve ser realizada ainda nos próximos dias.

Segundo a polícia, Alencar não tem antecedentes criminais. Após prestar depoimento, ele foi liberado. O caso está sendo investigado pelo 23º DP, em Perdizes.

Gilmar Raimundo Alencar
Gilmar Raimundo Alencar: "Não estava em alta velocidade" (Foto: Ana Luiz Cardoso/VEJASP)

Filho da vítima

O filho de Florisbaldo Carvalho da Rocha, 78, disse que vai conversar com seu advogado para verificar "medidas cabíveis" contra a prefeitura. Para ele, falta sinalização na via e o local é inapropriado para receber uma ciclovia.

O administrador de empresa Eduardo Carvalho contou que o pai passou por um tratamento de saúde contra uma infecção há pouco tempo e que estava "na melhor fase de sua vida."

"Estava lúcido, conversava. Eu ligava sempre, visitava toda a semana". O pai havia completado 78 anos no dia 10 deste mês. "Num dia eu estava comemorando o aniversário e no outro, estou no enterro dele", disse.

Moradores da região onde ocorreu o acidente já prometem fazer um protesto no próximo domingo por causa do perigo que a ciclovia apresenta aos pedestres.

+ Ciclovia sob o Minhocão é inaugurada com ato pelo fim do elevado

Ao longo dos 4,1 quilômetros de faixas para bicicletas há seis pontos de parada, 31 pilastras e diversas bifurcações nas vias vermelhas que colocam uma bicicleta de frente para outra ou apontadas diretamente para os passageiros nos pontos de ônibus.

Três dias antes da inauguração da faixa para bicicletas, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), disse estar confiante na capacidade de adaptação de pedestres, ciclistas e passageiros de ônibus para evitar colisões. Segundo Haddad, "as pessoas sabem se resolver". (Com Estadão Conteúdo)

Fonte: VEJA SÃO PAULO