Política

Pesquisa aponta que nível de rejeição a Lula atinge recorde

Para 68% dos entrevistados, Lula aceitou cargo de ministro para obter foro privilegiado

Por: Estadão Conteúdo - Atualizado em

Lula - Memorial da Democracia
Lula: taxa de rejeição aumenta (Foto: Alex Falcão/Futura Press/Folhapress)

A taxa de rejeição ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva atinge nível recorde, de 57%, segundo pesquisa do Datafolha, publicada neste domingo (20). Em novembro do ano passado, 47% dos entrevistados disseram que não votariam em Lula caso se candidatasse.

O dado também é recorde entre candidatos à presidência, superando inclusive a rejeição ao peemedebista Ulysses Guimarães na campanha de 1989, até então o maior índice de rejeição, que era de 52%. Por outro lado, quando perguntados sobre qual foi o melhor presidente que o Brasil já teve, Lula lidera com 35% das respostas, à frente de FHC, com 16%, entre outros.

+ Grupo pró-impeachment volta a acampar na Paulista

A pesquisa também apurou que para 68% dos entrevistados, Lula aceitou o cargo de ministro-chefe da Casa Civil no governo de Dilma Rousseff com o objetivo de obter foro privilegiado, de modo a escapar de ser julgado em primeira instância nas investigações da Operação Lava Jato. O juiz Sergio Moro "agiu bem" ao obrigar o ex-presidente a depor na Polícia Federal dia 4 de março, ante 13% das respostas com "agiu mal", segundo o Datafolha.

Em relação ao desempenho do governo com Lula no ministério, 36% responderam que a gestão Dilma deve piorar e 38% acreditam que nada mudará. A pesquisa foi realizada nos dias 17 e 18 de março, com 2.794 entrevistados em 171 municípios.

Fonte: VEJA SÃO PAULO