Consumo

Pesquisa Menor Preço: material de construção

VEJA SÃO PAULO comparou o valor de vinte itens no dia 12 em quatro redes da cidade. Leroy Merlin venceu a disputa do custo mais baixo em metade dos produtos

Por: Adriana Farias - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Bagunça, poeira e quebra-quebra. Essas não são as únicas preocupações quando se inicia uma reforma. O orçamento com materiais de construção pode pesar muito no bolso. O jeito é fazer uma boa pesquisa para encontrar os produtos mais em conta. De olho na clientela, grandes empresas do setor não medem esforços para conquistar o consumidor oferecendo preços mais vantajosos ou serviços diferenciados.

+ Pesquisa Menor Preço: material escolar

No último dia 12, a reportagem de VEJA SÃO PAULO pesquisou em unidades da C&C, Dicico, Leroy Merlin e Telhanorte - sem se identificar - vinte itens, entre alguns dos mais procurados e outro de luxo.

Em geral, os valores dos itens podem variar dentro da mesma rede conforme a unidade. Para escolher os locais visitados, perguntamos a cada companhia qual endereço é o principal daquela bandeira.

A rede francesa Leroy Merlin levou a melhor. A empresa tem dez produtos com os valores mais baixos, dois deles chegam a ser 40% e 44% mais baratos do que os de seus "oponentes", como no caso da coluna para lavatório da Celite e da pia de inox da Franke, respectivamente.

“Realizamos semanalmente uma pesquisa que engloba 1 500 itens nos principais concorrentes e conseguimos alinhar ao menor preço praticado”, afirma Waldiney Lima, diretor da Leroy Merlin de Interlagos.

Confira as tabelas de comparação de preço:

tabela-base-construcao-banheiro
(Foto: Simone Yamamoto)
tabela-base-construcao-estrutura
(Foto: Simone Yamamoto)
tabela-base-construcao-tintas
(Foto: Simone Yamamoto)
tabela-base-construcao-outros
(Foto: Simone Yamamoto)

Em segundo lugar no teste do preço, com seis produtos entre os mais baratos e um empate com a C&C, a Dicico foi a empresa com maior número de itens faltantes (4) no dia da apuração. A empresa diz que trabalha com outras marcas líderes do mercado que considera melhores para seu portfólio. Na terceira posição vem a C&C, com três opções mais em conta e um empate com a Dicico. Sem nenhum item entre os campeõs de preço baixo, a Telhanorte ficou em último lugar.

+ Pesquisa Menor Preço: supermercados

A visita em cada rede

Segundo a Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco), a Leroy Merlin é a maior rede de material de construção do país. Inaugurada em 1998, tem sete de suas 32 lojas na Grande São Paulo, empregando mais de 1 600 funcionários.

Para fazer o levantamento VEJA SÃO PAULO visitou a unidade de Interlagos, reinaugurada em dezembro. Uma faixa verde instalada no chão direciona o cliente a percorrer cada um dos catorze setores com seus 60 000 itens sem se perder. Para quem quer apenas pegar um produto e ir embora, há interligações que levam direto ao caixa.

leroy-merlin-material-construcao-pesquisa
Rede francesa Leroy Merlin possui sete das 32 lojas na Grande São Paulo: emprega mais de 1 600 funcionários (Foto: Fernando Moraes)

A rede oferece gratuitamente serviços de projetos de banheiro e cozinha. Conta ainda com um sistema de drive-thru em que se entra com o carro e abastece sem precisar estacionar. Se o cliente vier com o animal de estimação vai encontrar agora carrinhos adaptados para colocar os pets. Outro benefício é que a marca cobre o valor da concorrente ao devolver a diferença. “Se a pessoa comprou um item por 100 reais, por exemplo, e na concorrente ele viu por 90, é só ele trazer o anúncio e nós devolvemos os 10 reais”, garante Lima.

A reportagem teve dificuldades ao pesquisar itens no setor de elétrica. Por volta das 21h, a unidade estava cheia e havia apenas um vendedor disponível. Ele era disputado a unhas e dentes. Como na Leroy Merlin os funcionários são especialistas estritamente em suas áreas (o que pode ser bom ou ruim), não conseguimos auxílio dos quatro funcionários do setor de tinta que estavam parados na ocasião. Na área de cerâmica, ao ser questionado sobre a falta de um item da fabricante Jatobá, o vendedor insistia em dizer que  a marca não existia e que ela era, na verdade, uma categoria de cor. “Foi uma anomalia”, aponta Lima.

Fundada em 1918, a Dicico é a quarta maior varejista do país no setor, segundo a Anamaco. A empresa que ficou em segunda posição na pesquisa de preço da VEJA SÃO PAULO possui 57 lojas no estado, chegando a 3 000 colaboradores. Também afirma cobrir o preço da concorrente com desconto de até 10% sobre o produto. A loja visitada pela reportagem foi a da Marginal Tietê, onde fomos atendidos por um único vendedor especialista em todas as áreas.

“A entrega rápida e o atendimento personalizado também são nossos diferenciais”, diz Rejane Nogueira, diretora de marketing da Dicico.

leroy-merlin-material-construcao-pesquisa-menor-preco
Unidade de Interlagos da Leroy Merlin: campeão da pesquisa (Foto: Fernando Moraes)

Terceira colocada na pesquisa de VEJA SÃO PAULO, a C&C foi fundada em 2000. Das 49 lojas no país, 36 marcam presença no estado. Entre as facilidades oferecidas aos clientes estão as adesões aos programas Netpoints e Smiles, em que pontos acumulados podem ser revertidos em produtos ou viagens, além de também cobrir o preço das redes vizinhas. 

“Temos vendedores de muito tempo de casa e experiência para acalmar nesse momento difícil que é reformar um imóvel”, diz Jefferson Fernandes, diretor de marketing da C&C.

Durante pesquisa dos itens na unidade de Aricanduva, a reportagem foi orientada adequadamente por um vendedor especialista em todos os setores, mas assim que chegou na loja pediu ajuda a três vendedores que disseram estar ocupados, mesmo com a loja vazia, por volta das 10h.

+ Pesquisa Menor Preço: farmácias

Na lanterna na pesquisa, a Telhanorte entrou no mercado em 1976 e é a terceira maior rede da área de material de construção. Das 38 lojas no país, 31 estão distribuídas no estado, com 3 200 funcionários atuando. “A empresa oferece diversas facilidades de pagamento, como a linha de crédito própria da rede, o cartão Telhanorte, que proporciona descontos exclusivos para os assinantes e possibilidade de pagamento em até 24 vezes”, afirmou a empresa, em nota.

Na loja visitada na Marginal Tietê, o atendimento foi adequado, porém a vendedora repetiu quatro vezes que se a compra dos itens pesquisados fosse efetuada na unidade futuramente deveria ser feito com ela, devido às comissões.

De acordo com o Procon-SP, o setor de material de construção possui poucas queixas registradas em 2014. Do total de 1 983, as quatro grandes empresas pesquisadas detêm apenas 15% (291) das reclamações. A maioria se mostra devido à demora na entrega do pedido.

Confira os endereços visitados:

- Leroy Merlin. Avenida Interlagos, 2255, Jardim Umuarama

Dicico. Rua Thomas Edson, 1324, Várzea Da Barra Funda

C&C. Avenida Aricanduva, 5555, Jardim Aricanduva

Telhanorte. Avenida Presidente Castelo Branco, 6201, Parque Residencial da Lapa

Fonte: VEJA SÃO PAULO