Mistérios da Cidade

Hospedagem alternativa cresce na capital

Pesquisa da SP Turis mostra que visitantes da metrópole estão optando pelos imóveis alugados no lugar de hotéis

Por: Maurício Xavier (com reportagem de Nataly Costa)

air bnb
Apartamento do Air BNB na Vila Madalena (Foto: Divulgação)

São Paulo tem a maior rede hoteleira do país, com 42 000 dormitórios, do básico ao superluxo. Em paralelo, porém, estão ganhando espaço as acomodações alternativas. Dados do Observatório do Turismo mostram que o Airbnb, a principal plataforma de aluguel de quartos do mundo, cresceu 13% na metrópole em 2015, atingindo 8 000 anúncios (acham-se de cobertura na Vila Madalena a sofá-cama em quitinete no centro). Além de receber hóspedes em casa, os moradores daqui estão mais propensos a abrir mão de hotéis quando viajam. Segundo o Ministério do Turismo, em 2014, só 2,2% dos paulistanos alugavam imóveis. Hoje, esse porcentual é de 5,2%.

+ Achados que não parecem comprados em outlet

Fonte: VEJA SÃO PAULO