Eleições

Doria avança e Russomano cai, segundo pesquisa do Datafolha

Levantamento divulgado nesta quinta (22) aponta empate triplo entre candidatos à prefeitura

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

candidatos prefeitura de são paulo 2016
Corrida pela prefeitura: Celso Russomanno, Marta Suplicy, Luiza Erundina, Fernando Haddad e João Doria (Foto: Divulgação/Luiz Maximiano/Adailton de Sousa Damasceno/Reprodução/Reprodução)

Uma reviravolta ocorreu nesta quinta-feira (21) na eleição municipal com a divulgação de uma pesquisa de intenção de voto divulgada pelo Datafolha, apontando o crescimento de João Doria (PSDB) e queda de Celso Russomano (PRB). Agora há um triplo empate técnico na liderança.

+ O festival de propostas genéricas dos candidatos à prefeitura

A quase duas semanas do primeiro turno, o tucano chegou a 25% das intenções e voto, enquanto o deputado caiu para 22%. Marta Suplicy (PMDB) desceu para 20%. O mesmo cenário de empate foi projetado para o segundo turno, em simulações entre os três candidatos.

A margem de erro do levantamento, contratado pela Folha e a TV Globo, é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. O instituto ouviu 1 260 pessoas.

Doria é o candidato com mais tempo de televisão e cresceu 20 pontos percentuais em um mês de campanha, tendo largado com 5%, segundo pesquisa do final de agosto, e passando a 16% no início de setembro.

Russomanno possuía 15 pontos de folga no início da corrida – de 31% da intenção de voto, ele caiu para 26% e agora está com 22%.

Marta ascendeu na primeira fase da campanha de 16% para 21% e manteve a posição com o atuais 20%.

O atual prefeito Fernando Haddad (PT), que tenta a reeleição, manteve-se no mesmo patamar, com 10% das intenções de voto, ante os 9% aferidos na pesquisa anterior.

Luiza Erundina (PSOL) caiu de 7% para 5%. Major Olímpio (SD) está com 2%, Levy Fidelix (PRTB), 1%, e Ricardo Young (Rede) e João Bico (PSDC) não pontuaram. Henrique Áreas (PCO) e Altino (PSTU) não foram citados. Votos brancos ou nulos somaram 11%, e 4% dos eleitores não opinaram.

No quesito rejeição, Haddad continua com a maior porcentagem entre os adversários, de 45%. Depois dele, Fidelix é criticado por 30% do eleitorado, Marta por 29%. Erundina e Russomanno têm rejeição de 27% – o deputado tinha 21% na pesquisa anterior. Em relação a Doria, agora 19% disseram que não votariam nele, nas pesquisa anterior eram 20%.

Fonte: VEJA SÃO PAULO