Gastronomia

Conheça os personal chefs, que cozinham na casa do cliente

Novas plataformas virtuais auxiliam paulistanos na contratação de profissionais que preparam jantares em casa

Por: Pedro Henrique Tavares

Chef Bruna Leite
Bruna Leite: contato prévio com o cliente para escolher os ingredientes (Foto: Rodrigo Dionísio)

Há dois meses, o gerente de produto Osvaldo Evaristo Júnior convidou a esposa, Andreza, para um jantar especial. No entanto, em vez de ater-se ao roteiro tradicional e levá-la a um de seus estabelecimentos preferidos, como o L’Entrecôte de Paris, no Itaim, resolveu mudar de tática e proporcionar uma noite mais intimista. Por meio da internet, contratou um chef, que visitou o apartamento do casal no Jardim da Saúde, na Zona Sul, com todos os ingredientes necessários e preparou uma refeição completa. O menu incluiu uma salada de folhas verdes, romã e geleia de beterraba, seguida pelo prato principal, um filé mignon ao molho de cacau. Em menos de três horas, tudo estava novamente organizado e limpo na cozinha. Pelo pacote, ele desembolsou 300 reais, preço compatível com um jantar para duas pessoasem uma boa casa da capital. Mas, em seu caso, não houve gasto extra com manobrista, por exemplo, nem foi necessário aguardar uma mesa livre. “O clima é um diferencial. Não conheço nenhum restaurante que ofereça um atendimento tão exclusivo”, elogia Júnior.

+ Mooca ganha perfil descolado com abertura de casa moderninhas

Esse episódio mostra algumas das vantagens de um negócio em expansão na capital. Apesar de não ser uma prática nova, a contratação dos chamados personal chefs, como são conhecidos os profissionais que preparam refeições em domicílio, acelerou nos últimos tempos com o surgimento de alguns sites para a reserva do serviço. Além de reunirem vários cozinheiros com disponibilidade para visitas, essas plataformas virtuais possibilitam ao cliente conhecer previamente quem vai comandar a cozinha, e até conversar com o chef. O custo varia entre 100 e 150 reais por pessoa, já com os ingredientes e a limpeza pós-refeição inclusos. A mais recente ferramenta do tipo é a Welcome Chef, que começou a operar em julho e conta com dez profissionais cadastrados. No site da empresa, é possível conferir o currículo deles, com detalhes sobre sua formação gastronômica e as respectivas especialidades. Como cada chef disponibiliza três cardápios, o usuário conta com pelo menos trinta opções para escolher. Um exemplo é o talharim de pupunha com trufa negra, oferecidopor um preço médio de 120 reais por pessoa. “Estamos realizando cerca de dezesseis eventos por mês”, diz oempresário Murilo Bonadio, um dos sócios do empreendimento.

Chef Otávio Fagundes
O empresário Otávio Fagundes: eventos maiores no Le Chef Chez Toi (Foto: Mário Rodrigues)

+ Uma cidadezinha fora da rota desbanca as capitais gastronômicas

A principal comodidade para os clientes é o fato de eles terem contato mais próximo com quem prepara sua comida. “A chef me ligou antes da data marcada para o evento, perguntou quais eram os sabores de minha preferência e se havia algum convidado com restrição alimentar”, explica a empresária Maria Fernanda Guazzelli, responsável pela organização de um almoço para seis integrantes de sua família em um fim de semana de julho. No caso, porém, ela só assinou o cheque. Quem cuidou do menu foi a ex-advogada Bruna Leite. Bruna abandonou a área do direito em 2014 para se dedicar ao universo das panelas. Após um ano de estudos na escola francesa Le Cordon Bleu, uma das mais renomadas do mundo, e estágios em casas como D.O.M. e Vito, decidiu criar uma carreira longe dos restaurantes e passou a visitar o fogão dos fregueses. Hoje, chega a preparar até cinco jantares por semana, faturando aproximadamente 2 000 reais por mês. “Só consigo parar na segunda e na terça, quando me dedico a comprar os ingredientes e organizar as porções”, explica.

+ Ana Paula Padrão faz sucesso no MasterChef após deixar telejornais

Outra plataforma semelhante é a Chefie, criada em janeiro, com uma cartela de treze profissionais. O cardápio básico oferecido inclui entrada, prato principal e sobremesa. O preço varia de 100 a 150 reais por pessoa. Seu foco é o atendimento personalizado durante os jantares, e, para garantir isso, há um limite na quantidade de participantes. “Servimos para, no máximo, quinze”, explica Vitor Uyemura, um dos sócios do negócio, ao lado de Thiago Magalhães. A proposta chamou a atenção de Cássio Prados, que atua há quase dez anos como personal chef.“ Já cozinhei para até 4 000 pessoas de uma vez só, e servir grupos menores otimiza muito o meu trabalho”, conta.

Chef Cássio Prados
Cássio Prados: serviço personalizado (Foto: Rodrigo Dionísio)

+ City Tour oficial em São Paulo deve começar em outubro

Há, no entanto, sites que investemem eventos maiores, como o Le Chef Chez Toi, criado há cinco anos. A empresa realiza três serviços por semana, cada um deles com até oitenta convidados, geralmente em salões de festa de condomínios. Em média, o cliente desembolsa cerca de 100 reais para saborear pratos das culinárias francesa e italiana. “Tive a ideia de abrir um negócio como esse após uma viagem com a família a Bariloche, na Argentina”, explica o chef e empresário Otávio Fagundes. “Contratei um cozinheiro local que atendia em domicílio, e percebi a necessidade de criar uma coisa como essa no Brasil”, diz ele, que tem fregueses fiéis e chega a visitar os mesmos endereços algumas vezes por ano.

CARDÁPIO PARTICUL

As diferenças do serviço realizado em domicílio 

- O menu é combinado com o chef dias antes da visita;

- A cozinha é do cliente, que pode acessá-la para conversar com o profissional;

- O pagamento é realizado antes da refeição;

- Diferentemente do que acontece em restaurantes, não há taxa de serviço;

- É necessário se programar com antecedência de alguns dias e fazer a reserva;

- Nunca será preciso esperar por uma mesa livre.

Chefie. 3230-1839, www.chefie.com.br

Le Chef Chez Toi. 99331-9960, www.lechefcheztoi.com.br

Welcome Chef. 5539-2765, www.welcomechef.com.br

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO