Cidade

Atropelador de personal paga a fiança e é liberado

O garçom acusado de atingir Cristiano Stridelli Ferreira na porta da boate D-Edge no domingo (26) carregava pinos com pó branco, estava embriagado e não tinha habilitação

Por: Ana Luiza Cardoso - Atualizado em

atropelamento Cristiano Stridelli
Mitsubish TR4 que tirou a vida do personal trainer perto da casa noturna D-Edge (Foto: Reginaldo Castro/Folhapress)

Acusado de atropelar e matar o personal trainer Cristiano Stridelli Ferreira, o garçom Yuri Jardim Novaes Medeiros da Silva, de 28 anos, responderá o processo em liberdade. Preso em flagrante no último domingo (26), ele foi liberado na noite dessa segunda (27), após pagar a fiança de dez salários mínimos determinada pela Justiça.

Atropelador de personal estava com cocaína, diz polícia

“É um absurdo que tenham liberado o Yuri Silva. Não faz sentido. Ele foi pego em flagrante”, disse a vendedora Ana Luiza Souza, de 37 anos, que também foi atingida pelo carro, mas sofreu ferimentos leves. Ela falou que o motorista andava em “ziguezague” quando atropelou Ferreira.Procurado, o garçom não foi encontrado para falar sobre o caso. 

+ Rapaz que decapitou namorada grávida é denunciado por feminicídio

Cristiano Stridelli
O corpo de Cristiano Stridelli Ferreira foi enterrado no Cemitério Parque Jaraguá (Foto: Reprodução Facebook)

O corpo de Ferreira foi enterrado no Cemitério Parque Jaraguá na manhã desta terça (28). Ele morreu ao ser atropelado na Alameda Olga, perto da boate D-Edge, na Barra Funda. Sentando em um banco na calçada, o personal trainer esperava uma amiga sair da casa noturna quando foi atingido pelo Mitsubish Pajero TR4 conduzido por Yuri Silva, que tentava estacionar, mas perdeu o controle do veículo ao andar em marcha à ré.

+ Investigador é morto na Vila Clementino

Yuri Silva não possui habilitação e estava embriagado. Segundo boletim de ocorrência registrado no 91º Distrito Policial, ele foi reprovado no teste de bafômetro. A polícia também encontrou dois pinos com um pó branco no bolso do garçom. De acordo com o boletim, “o próprio afirmou tratar-se de cocaína para seu consumo”. Nenhum representante da defesa do acusado foi localizado.

+ Motorista perde o controle de Ferrari conversível e invade horta

Cristiano Stridelli
Com 41 anos, Cristiano Stridelli Ferreira trabalhava como personal trainer. (Foto: Reprodução Facebook)

O carro conduzido por Yuri Silva pertence a Alexandre Pedroso Veronese, de 36 anos que também não foi encontrado para comentar o caso. O empresário, que estava no local do acidente, afirmou em depoimento para a polícia que não sabia que garçom não tinha habilitação.

Fonte: VEJA SÃO PAULO